Coreia do Norte lança sétimo míssil com capacidade intercontinental

O lançamento ocorreu na província de Chagang, e o míssil percorreu cerca de 800 quilômetros em 30 minutos, alcançando uma altitude máxima de 2 mil quilômetros, até cair no Mar do Japão. Segundo o presidente sul-coreano, Moon Jae-in, a Coreia do Norte está "perto de romper a moratória" em testes nucleares e de mísseis balísticos intercontinentais.

Coreia do Norte lança sétimo míssil com capacidade intercontinental

O lançamento ocorreu na província de Chagang, e o míssil percorreu cerca de 800 quilômetros em 30 minutos, alcançando uma altitude máxima de 2 mil quilômetros, até cair no Mar do Japão. Segundo o presidente sul-coreano, Moon Jae-in, a Coreia do Norte está “perto de romper a moratória” em testes nucleares e de mísseis balísticos intercontinentais.

Por Redação, com Ansa – de Pyongyang

A Coreia do Norte realizou, neste domingo, seu sétimo lançamento de míssil consecutivo, em 2022, levantando temores sobre uma possível retomada dos testes de armamentos nucleares e intercontinentais. De acordo com a Coreia do Sul, trata-se do projétil mais potente disparado por Pyongyang desde 2017.

Míssil norte-coreano
O sétimo míssil com capacidade intercontinental lançado pela Coreia do Norte viajou 800 quilômetros em 30 minutos

O lançamento ocorreu na província de Chagang, e o míssil percorreu cerca de 800 quilômetros em 30 minutos, alcançando uma altitude máxima de 2 mil quilômetros, até cair no Mar do Japão. Segundo o presidente sul-coreano, Moon Jae-in, a Coreia do Norte está “perto de romper a moratória” em testes nucleares e de mísseis balísticos intercontinentais. Kim anunciou o fim dessa suspensão no primeiro dia de 2020, mas, na prática, o regime não testa armamentos desse tipo desde o fim de 2017.

Cúpula

Por meio de nota, o Comando Indo-Pacífico das Forças Armadas dos Estados Unidos condenou o novo exercício militar da Coreia do Norte e cobrou que o país se abstenha de promover atos “desestabilizantes”. Além disso, garantiu empenho “irremovível” na defesa da Coreia do Sul e do Japão.

Pyongyang tem ignorado apelos dos EUA para voltar às negociações de desnuclearização, que estão travadas desde fevereiro de 2019, quando o então presidente Donald Trump abandonou de forma abrupta uma cúpula com Kim no Vietnã.