Eurocopa Feminina: Veja o recorde de público, seleções favoritas e jogadoras destaques

Cerca de 450 mil ingressos já foram vendidos para o campeonato de 16 equipes Este conteúdo foi originalmente publicado em Eurocopa Feminina: Veja o recorde de público, seleções favoritas e jogadoras destaques no site CNN Brasil.

Eurocopa Feminina: Veja o recorde de público, seleções favoritas e jogadoras destaques

A Eurocopa 2022 parece ser o ponto alto de uma onda recorde de apoio ao futebol feminino na Europa nesta temporada.

Cerca de 450 mil ingressos já foram vendidos para o campeonato de 16 equipes — incluindo 73.200 ingressos para a estreia da Inglaterra contra a Áustria em Old Trafford e 87.200 para a final de Wembley — superando em muito o recorde anterior de 240 mil estabelecido na Holanda há quatro anos.

O hype em torno do campeonato segue uma temporada que viu vários recordes de público serem quebrados em todo o continente.

Na Espanha, o Barcelona estabeleceu um novo recorde mundial de público para um jogo feminino, com 91.648 pessoas lotadas no Camp Nou para a primeira partida da semifinal da Liga dos Campeões contra o Wolfsburg, quebrando um recorde que permanecia desde a final da Copa do Mundo Feminina de 1999.

Também houve recordes quebrados na França, onde 43.254 torcedores compareceram ao Parc des Princes para assistir à semifinal da Liga dos Campeões do Paris Saint-Germain contra o Lyon, enquanto a Inglaterra também viu seu recorde de público de clubes quebrado quando 49.094 viram o Chelsea vencer o Manchester City na FA Cup final em Wembley.

A empolgação com o início da Euro 2022 também é palpável na Suécia, onde um recorde de 33.218 acabou assistindo a seleção nacional vencer o Brasil em seu último jogo de aquecimento.

Esta temporada provou, sem sombra de dúvida, que existe um enorme apetite pelo futebol feminino em toda a Europa.

Por essa razão, tem havido alguma consternação em torno da decisão da UEFA de usar estádios, como o Manchester City Academy Stadium e o Leigh Sports Village, que algumas jogadoras e torcedores consideram pequenos demais para um campeonato tão grande.

Favoritos da Euro 2022

Inglaterra

A anfitriã Inglaterra chega à Eurocopa 2022 com uma chance real de conquistar o primeiro grande troféu da história da seleção.

A vantagem de jogar em casa diante de uma torcida inglesa recorde sem dúvida desempenhará seu papel, mas a equipe tem sido extremamente impressionante sob o comando da treinadora Sarina Wiegman desde sua nomeação em setembro de 2021.

A Inglaterra continua invicta sob o comando da holandesa, que levou a Holanda à glória no campeonato há quatro anos. Sob o comando de Wiegman, a Inglaterra marcou impressionantes 84 gols, incluindo uma vitória recorde de 20 a 0 sobre a Letônia, e sofreu apenas três.

As Lionesses continuaram sua impressionante preparação para a competição com uma impressionante vitória por 5 a 1 sobre o ex-time de Wiegman, antes de vencer a Suíça por 4 a 0.

Uma equipe com os talentos da atacante Lauren Hemp, da atacante Ellen White e da zagueira Lucy Bronze pode competir com os melhores, mas a questão primordial é se esse grupo pode lidar com o peso da expectativa.

A seleção nacional chegou às semifinais em cada um dos últimos três grandes campeonatos, mas ficou aquém de chegar à final todas as vezes.

Esta iteração do time é sem dúvida a mais talentosa de todas e, depois que a equipe masculina chegou à final da Eurocopa 2020 no ano passado, os torcedores da Inglaterra estão compreensivelmente otimistas em ver sua seleção nacional em uma final de Wembley pela segunda vez consecutiva.

Alessia Russo, Jill Scott, Bethany e Georgia Stanway / Lionesses / Instagram

Espanha

Embora as casas de apostas tenham a Espanha entrando na disputa como a favorita, talvez seja mais correto ver essa equipe como a favorita entre os azarões.

A equipe estabeleceu um placar com uma impressionante goleada de 7 a 0 sobre a Austrália, um pouco fraca, em seu penúltimo jogo de preparação antes do compeonato, antes de empatar em 1 a 1 contra a Itália na sexta-feira (1º).

Na vencedora da Bola de Ouro, Alexia Putellas, a Espanha possui indiscutivelmente a jogadora mais talentosa do mundo e alguém capaz de vencer sozinho uma partida com um momento de gênio individual.

A ascensão da Espanha no cenário internacional coincidiu com o Barcelona se tornar uma potência doméstica e europeia nas últimas duas temporadas, e nada menos que nove jogadoras do Barcelona chegaram ao elenco final de 23 jogadoras de Jorge Vilda.

Esta equipe às vezes pode lutar para quebrar as defesas de equipes mais fortes ou mais teimosas e será prejudicada ainda mais pela ausência da artilheira Jennifer Hermoso, que sofreu uma lesão no ligamento do joelho no início deste mês.

Também houve surpresa considerável entre os torcedores da seleção espanhola com a omissão da dupla da Real Sociedad Amaiur Sarriegi e Nerea Eizagirre, que marcaram 33 gols combinados na Primera na última temporada, com Sarriegi também marcando 11 gols em cinco eliminatórias da Copa do Mundo.

Apesar das deficiências da Espanha, no entanto, haverá poucas equipes apreciando a perspectiva de enfrentar o time de Vilda.

/ Seleção Espanhola de Futebol Feminino

Destaques de jogadoras

Alexia Putellas

A superestrela espanhola Putellas é sem dúvida o nome a ser observado na Eurocopa desta temporada.

A jogadora de 28 anos, vencedora da Bola de Ouro de 2021, levou o Barcelona a uma temporada vitoriosa na Espanha, com a equipe garantindo a tríplice coroa doméstica e perdendo por pouco o segundo título consecutivo da Liga dos Campeões, embora ela tenha terminado como o artilheira da competição desta temporada.

Tanto uma artilheira clínica quanto uma criadora de classe mundial, Putellas é a recordista de jogos pela seleção feminina espanhola e, contra a Itália, na sexta-feira, tornou-se a primeira mulher a chegar a 100 partidas pela seleção.

A meio-campista é uma das várias jogadoras tecnicamente talentosas que este time da Espanha possui e Putellas será a orquestradora que permitirá que jogadoras como Aitana Bonmatí e Athenea del Castillo prosperem no futuro.

Ada Hegerberg

Atenção defensoras da oposição: Ada Hegerberg está de volta. A jogadora de 26 anos só voltou à seleção da Noruega em abril, após uma ausência de cinco anos.

Depois de terminar como vice-campeã na Euro 2013, a Noruega entrou no torneio na Holanda há cinco anos com grandes esperanças.

No entanto, a equipe terminou no último lugar de seu grupo e Hegerberg posteriormente deixou a configuração da seleção nacional, dizendo que suas experiências com o time a deixaram “mentalmente quebrada” e frustrada com a forma como o futebol feminino era visto na Noruega.

Hegerberg continuou a se destacar em nível de clube pelo Lyon e sua forma a levou a ser coroada a vencedora da primeira Bola de Ouro feminina em 2018.

Mas em janeiro de 2020, Hegerberg rompeu o ligamento cruzado anterior, que a deixou de lado por quase dois anos.

Quando ela voltou em outubro de 2021, ela começou a correr e ajudou o Lyon a recuperar o título da liga francesa que havia perdido para o Paris Saint-Germain na temporada anterior. Ela também marcou um gol e uma assistência na final da Liga dos Campeões para recuperar a coroa do Barcelona.

Uma das maiores artilheiras do futebol feminino — sua proeza na frente do gol pode ser uma carta na manga em seu primeiro jogo de volta para a Noruega depois de cinco anos — Hegerberg vai tentar recuperar o tempo perdido no cenário internacional.

Vivianne Miedema

Nos últimos anos, Vivianne Miedema tornou-se uma das atacantes mais prolíficas e temidas do futebol mundial.

Com apenas 25 anos, a craque do Arsenal ostenta 92 gols em 109 jogos pela Holanda e é a artilheira de todos os tempos com uma camisa da seleção holandesa, feminina ou masculina.

Suas façanhas pelo Arsenal na Superliga Feminina — ela agora é a artilheira da história da liga — recentemente lhe renderam um novo contrato que a torna a jogadora feminina mais bem paga da Inglaterra.

Miedema terminou em segundo lugar na Chuteira de Ouro na Euro 2017 — marcando quatro gols, incluindo dois na final — quando as holandesas conquistaram seu primeiro grande troféu internacional. Parece mais do que provável que ela esteja novamente entre as artilheiras desta vez.

Lauren Hemp

Poucas jogadoras na Europa vão tirar você do seu lugar como Lauren Hemp.

Ala astuta com ritmo alucinante, controle mágico de perto e faro para o gol, a jogadora de 21 anos marca talvez todas as caixas imagináveis ​​para uma atacante.

Hemp marcou 20 gols e deu 10 assistências em 36 jogos pelo Manchester City na última temporada, a caminho de ser eleita a Jovem Jogadora do Ano da PFA pela quarta vez, um recorde.

Tal tem sido sua forma tanto nacional quanto internacionalmente, Hemp acendeu o assunto de ser considerada a  jogadora jovem da Inglaterra para ser a melhor jogadora da seleção inglesa.

Seu gol contra o Chelsea na final da FA Cup — que o City acabou perdendo — mostrou todas as suas habilidades, quando ela entrou em seu pé direito mais fraco e enrolou a bola no canto mais distante.

Indo para este torneio, poucas jogadoras darão pesadelos aos defensoras adversárias como o Hemp.

Este conteúdo foi originalmente publicado em Eurocopa Feminina: Veja o recorde de público, seleções favoritas e jogadoras destaques no site CNN Brasil.