Ex-"mendigo", Givaldo Alves cobrou R$ 500 para participar de sequestro de mulher

Givaldo Alves, o ex-mendigo espancado por um personal trainer após ter sido flagrado supostamente fazendo sexo consensual com a esposa do profissional, cobrou R$ 500 para participar do sequestro de uma mulher de 33 anos em 2004, na zona leste de São Paulo. As informações foram reveladas nesta quinta-feira (26) pelo site Metrópoles.  [render name="Leia mais" contentId="1.3235820"] O homem já ficou preso por oito anos, por furto qualificado e extorsão mediante sequestro. Os crimes ocorreram em São Paulo, e ele foi condenado em 2005, saindo da prisão em abril de 2013.  Em depoimento, na época, Givaldo respondeu aos policiais que estava sem dinheiro e foi convidado por dois homens que não conhecia para “pegar o dinheiro de um sequestro”. Ele receberia R$ 500 como pagamento por participar do crime. [render name="Veja também" contentId="1.3235821"] Ele foi preso em flagrante ao pegar o resgate de R$ 3 mil em uma lixeira na Praça do Forró, em São Miguel Paulista. A defesa chegou a alegar que o ex-sem-teto 'estava no local errado e na hora errada'. Contudo, a tese foi refutada. Em outubro de 2004, Givaldo foi condenado a 15 anos de reclusão em regime fechado, mais dois anos por maus antecedentes e reincidência. [render name="video" contentId="7.4642195"]>

Ex-"mendigo", Givaldo Alves cobrou R$ 500 para participar de sequestro de mulher
Givaldo Alves, o ex-mendigo espancado por um personal trainer após ter sido flagrado supostamente fazendo sexo consensual com a esposa do profissional, cobrou R$ 500 para participar do sequestro de uma mulher de 33 anos em 2004, na zona leste de São Paulo. As informações foram reveladas nesta quinta-feira (26) pelo site Metrópoles.  [render name="Leia mais" contentId="1.3235820"] O homem já ficou preso por oito anos, por furto qualificado e extorsão mediante sequestro. Os crimes ocorreram em São Paulo, e ele foi condenado em 2005, saindo da prisão em abril de 2013.  Em depoimento, na época, Givaldo respondeu aos policiais que estava sem dinheiro e foi convidado por dois homens que não conhecia para “pegar o dinheiro de um sequestro”. Ele receberia R$ 500 como pagamento por participar do crime. [render name="Veja também" contentId="1.3235821"] Ele foi preso em flagrante ao pegar o resgate de R$ 3 mil em uma lixeira na Praça do Forró, em São Miguel Paulista. A defesa chegou a alegar que o ex-sem-teto 'estava no local errado e na hora errada'. Contudo, a tese foi refutada. Em outubro de 2004, Givaldo foi condenado a 15 anos de reclusão em regime fechado, mais dois anos por maus antecedentes e reincidência. [render name="video" contentId="7.4642195"]>