Governo Boris Johnson sofre novo abalo com renúncia de dois ministros

Rishi Sunak, ministro das Finanças, e Sajid Javid, ministro da Saúde, confirmaram que deixarão o governo Este conteúdo foi originalmente publicado em Governo Boris Johnson sofre novo abalo com renúncia de dois ministros no site CNN Brasil.

Governo Boris Johnson sofre novo abalo com renúncia de dois ministros

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, sofreu um grande golpe nesta terça-feira com a renúncia de dois de seus principais ministros, que disseram que não poderiam mais trabalhar para um governo atolado em escândalos.

Os ministros das Finanças, Rishi Sunak, e da Saúde, Sajid Javidk, anunciaram que estavam se demitindo em cartas postadas no Twitter com poucos minutos de diferença na noite de terça-feira (horário do Reino Unido).

A controvérsia mais imediata enfrentada por Johnson é a maneira como Downing Street lidou com a renúncia do vice-chefe Chris Pincher, que deixou o cargo na quinta-feira passada (30) em meio a alegações de que ele havia apalpado dois convidados em um jantar privado na noite anterior. Embora não tenha admitido as alegações diretamente, Pincher disse, em uma carta a Johnson, que “na noite passada bebi demais” e “envergonhei a mim e a outras pessoas”.

“O público espera, com razão, que o governo seja conduzido de forma adequada, competente e séria”, disse Sunak em sua carta de demissão. “Reconheço que este pode ser meu último cargo ministerial, mas acredito que vale a pena lutar por esses padrões e é por isso que estou me demitindo.”

“Em preparação para nosso discurso conjunto proposto sobre a economia na próxima semana, ficou claro para mim que nossas abordagens são fundamentalmente muito diferentes”, acrescentou Sunak na carta. “Estou triste por deixar o governo, mas relutantemente cheguei à conclusão de que não podemos continuar assim.”

Javid escreveu que “foi um enorme privilégio servir neste papel, mas lamento não poder mais continuar em sã consciência”. Javid acrescentou que o voto de confiança do Partido Conservador no primeiro-ministro no mês passado “foi um momento de humildade, garra e nova direção”.

“Lamento dizer, no entanto, que está claro para mim que esta situação não mudará sob sua liderança – e, portanto, você também perdeu minha confiança”, escreveu Javid.

Downing Street tem se esforçado para explicar por que Pincher estava no governo, em meio a uma onda de revelações sobre sua suposta conduta anterior.

Quando esses relatórios surgiram, Downing Street inicialmente negou que o primeiro-ministro soubesse algo específico sobre eles. Então, a equipe de Johnson disse que ele sabia das alegações, mas que elas haviam sido “resolvidas”. Quando surgiu que uma das histórias não relatadas anteriormente contra Pincher havia sido confirmada, o porta-voz de Johnson explicou que “resolvido” poderia significar que havia sido confirmado.

Então, na manhã de terça-feira, Simon McDonald, ex-funcionário público do Ministério das Relações Exteriores, revelou que Johnson havia sido informado pessoalmente sobre o resultado de uma investigação sobre a conduta de Pincher.

Minutos antes de Sunak e Javid anunciarem suas renúncias, Johnson reconheceu que “foi um erro” nomear Pincher para seu governo.

Este conteúdo foi originalmente publicado em Governo Boris Johnson sofre novo abalo com renúncia de dois ministros no site CNN Brasil.