Mulher é condenada a prisão perpétua por matar bebê que queria adotar

Laura Castle matou Leiland-James Corkill quatro meses após chegada do bebê na família

Mulher é condenada a prisão perpétua por matar bebê que queria adotar
Laura Castle matou Leiland-James Corkill, de 13 meses, na InglaterraReprodução - 26.05.2022

Leiland-James morreu com ferimentos na cabeça. Laura diz que o caso foi um acidente , após ela "perder a cabeça" enquanto o menino estava chorando. Ela conta que o sacudiu para tentar silenciá-lo, acidentalmente batendo a cabeça dele contra o braço do sofá. A mulher admitiu homicídio culposo, quando não há intenção de matar, mas o tribunal de Preston Crown a considerou culpada de assassinato e crueldade infantil. O marido Scott Castle foi inocentado de causar ou permitir a morte da vítima.

A pena mínima de Laura é de 18 anos. Como ela também foi condenada a 21 meses por crueldade infantil, penalidade que será cumprida simultaneamente, não será elegível para liberdade condicional por 17 anos. Mesmo que seja libertada da prisão, ela permanecerá sob custódia e sujeita a retornar para a cadeia pelo resto da vida.

Leia mais...