Otan não planeja colocar armas nucleares ou bases na Finlândia, diz premiê a jornal

Sanna Marin, primeira-ministra da Finlândia, durante visita a Roma nesta quarta-feira (18) Remo Casilli/Reuters - 18.05.2022 A aliança militar ocidental Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) não manifestou nenhum interesse em colocar armas nucleares ou bases permanentes na Finlândia, disse a primeira-ministra finlandesa Sanna Marin a um jornal italiano em entrevista publicada nesta quinta-feira (19) durante sua visita a Roma. "Não há interesse [dentro da Otan] em colocar armas nucleares ou bases na Finlândia", disse Marin ao jornal Corriere della Sera, segundo o gabinete dela. A Finlândia e a Suécia se inscreveram formalmente para ingressar na Otan na quarta-feira (18), uma decisão estimulada pela invasão da Ucrânia pela Rússia, mas enfrentam objeções da Turquia a um processo de adesão que em geral é relativamente rápido. Marin, em visita a Roma para se encontrar com seu colega italiano Mario Draghi, disse acreditar que o assunto pode ser resolvido por meio do diálogo. Veja também Internacional Em conversa com os EUA, Turquia diminui o tom sobre veto à Finlândia e Suécia na Otan Internacional EUA confiam que Finlândia e Suécia entrarão na Otan, apesar de veto turco Internacional Finlândia e Suécia apresentam pedidos de entrada à Otan "Acho que nesta fase é importante manter a calma, ter discussões com a Turquia e com todos os outros países-membros, respondendo a perguntas que possam existir e corrigindo quaisquer mal-entendidos", afirmou Marin ao jornal. Marin também disse que a questão de a Otan implantar armas nucleares ou abrir bases na Finlândia não faz parte das negociações sobre a adesão de Helsinque à aliança militar ocidental. A primeira-ministra da Suécia, Magdalena Andersson, afirmou que seu país não quer bases permanentes da Otan nem armas nucleares em seu território.

Otan não planeja colocar armas nucleares ou bases na Finlândia, diz premiê a jornal
Sanna Marin, primeira-ministra da Finlândia, durante visita a Roma nesta quarta-feira (18)
Sanna Marin, primeira-ministra da Finlândia, durante visita a Roma nesta quarta-feira (18) Remo Casilli/Reuters - 18.05.2022

A aliança militar ocidental Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) não manifestou nenhum interesse em colocar armas nucleares ou bases permanentes na Finlândia, disse a primeira-ministra finlandesa Sanna Marin a um jornal italiano em entrevista publicada nesta quinta-feira (19) durante sua visita a Roma.

"Não há interesse [dentro da Otan] em colocar armas nucleares ou bases na Finlândia", disse Marin ao jornal Corriere della Sera, segundo o gabinete dela.

A Finlândia e a Suécia se inscreveram formalmente para ingressar na Otan na quarta-feira (18), uma decisão estimulada pela invasão da Ucrânia pela Rússia, mas enfrentam objeções da Turquia a um processo de adesão que em geral é relativamente rápido.

Marin, em visita a Roma para se encontrar com seu colega italiano Mario Draghi, disse acreditar que o assunto pode ser resolvido por meio do diálogo.

"Acho que nesta fase é importante manter a calma, ter discussões com a Turquia e com todos os outros países-membros, respondendo a perguntas que possam existir e corrigindo quaisquer mal-entendidos", afirmou Marin ao jornal.

Marin também disse que a questão de a Otan implantar armas nucleares ou abrir bases na Finlândia não faz parte das negociações sobre a adesão de Helsinque à aliança militar ocidental.

A primeira-ministra da Suécia, Magdalena Andersson, afirmou que seu país não quer bases permanentes da Otan nem armas nucleares em seu território.