Polícia procura mãe que fugiu com filho após armar emboscada para matar pai da criança no Paraná, diz delegado

Segundo polícia, namorado atual da mulher também é procurado pelo crime; mandado de prisão foi expedido contra eles. Vítima de 23 anos foi morta espancada ao tentar buscar filho em Curitiba. Casal fugiu com criança de 4 anos e é foragido da Polícia Civil Divulgação/Polícia Civil A Polícia Civil (PC) do Paraná procura uma mulher de 27 anos suspeita de fugir com o filho depois de armar, junto ao atual namorado, uma emboscada para matar o pai da criança. De acordo com a corporação, há mandado de prisão preventiva decretado contra eles. O crime aconteceu na Cidade Industrial de Curitiba, onde João Philip Gonçalves Nunes, de 23 anos, foi espancado até a morte. Ao todo, seis pessoas são suspeitas de participar do crime. Até a publicação desta reportagem, uma havia sido presa e duas identificadas, segundo a Polícia Civil. De acordo com a polícia, a suspeita, Maria Eliza Moreira Marins, e o pai da criança tinham uma disputa judicial pela guarda do menino, de quatro anos. A vítima foi atraída para o local onde morreu quando tentava buscar o filho em um endereço passado pela mulher, conforme a PC. A corporação ainda afirmou que o homem tinha uma decisão favorável da Justiça para pegar a criança, mas acabou abordado por quatro homens encapuzados que o espancaram até a morte. Polícia procura mãe que fugiu com filho após armar emboscada para matar pai da criança no Paraná, diz delegado Giuliano Gomes/PR PRESS Briga judicial pela guarda do filho Após o fim do relacionamento entre a vítima e a mãe da criança, que durou três anos, o menino ficou morando com o pai em Santa Catarina enquanto a mulher se mudou para Curitiba junto ao novo companheiro, Francisco Domenny, de 22 anos. Segundo a polícia, eles começaram a disputa pela guarda do filho, que foi deferida pela Justiça ao pai. As investigações ainda apontaram, conforme a PC, que a mãe e o atual companheiro foram até Blumenau (SC) em setembro do ano passado para visitar a criança, mas acabaram levando o menino embora, sem devolvê-lo e evitando qualquer contato com a vítima. No dia 2 de dezembro, o pai mandou mensagem para a suspeita avisando que uma decisão judicial o dava o direto de buscar o menino. A mulher, então, afirmou não ter condição de levar o filho até o estado catarinense e pediu que ele fosse até Curitiba, segundo a polícia. O crime De acordo com o delegado Tiago Nobrega, João foi morto ao procurar um endereço passado pela mulher para buscar a criança. O delegado afirmou que o crime teve "requintes de crueldade" e a morte da vítima era planejada pelo casal. Ainda conforme a polícia, a mãe da criança chegou a espalhar pelo bairro que a vítima havia abusado sexualmente do menino. Exames comprovaram que não houve abuso, segundo a PC, e o objetivo da mulher era instigar os moradores do local contra João. No endereço indicado pela suspeita, a vítima foi levado por uma mulher até outro local, onde foi abordado e espancado por quatro pessoas encapuzadas. Ele não resistiu aos ferimentos. O corpo da vítima foi encontrado no dia 5 de dezembro em uma estrada rural da região. Ainda conforme a polícia, um dos suspeitos de agredir João até a morte foi preso em 21 de janeiro. Ele tem 19 anos e deve responder por homicídio qualificado. Além dele, a PC identificou como autores do crime também a mãe da criança e o atual namorado dela. Eles são foragidos pelos crimes de homicídio qualificado e subtração de incapazes. Veja mais notícias do estado em g1 Paraná.

Polícia procura mãe que fugiu com filho após armar emboscada para matar pai da criança no Paraná, diz delegado

Segundo polícia, namorado atual da mulher também é procurado pelo crime; mandado de prisão foi expedido contra eles. Vítima de 23 anos foi morta espancada ao tentar buscar filho em Curitiba. Casal fugiu com criança de 4 anos e é foragido da Polícia Civil Divulgação/Polícia Civil A Polícia Civil (PC) do Paraná procura uma mulher de 27 anos suspeita de fugir com o filho depois de armar, junto ao atual namorado, uma emboscada para matar o pai da criança. De acordo com a corporação, há mandado de prisão preventiva decretado contra eles. O crime aconteceu na Cidade Industrial de Curitiba, onde João Philip Gonçalves Nunes, de 23 anos, foi espancado até a morte. Ao todo, seis pessoas são suspeitas de participar do crime. Até a publicação desta reportagem, uma havia sido presa e duas identificadas, segundo a Polícia Civil. De acordo com a polícia, a suspeita, Maria Eliza Moreira Marins, e o pai da criança tinham uma disputa judicial pela guarda do menino, de quatro anos. A vítima foi atraída para o local onde morreu quando tentava buscar o filho em um endereço passado pela mulher, conforme a PC. A corporação ainda afirmou que o homem tinha uma decisão favorável da Justiça para pegar a criança, mas acabou abordado por quatro homens encapuzados que o espancaram até a morte. Polícia procura mãe que fugiu com filho após armar emboscada para matar pai da criança no Paraná, diz delegado Giuliano Gomes/PR PRESS Briga judicial pela guarda do filho Após o fim do relacionamento entre a vítima e a mãe da criança, que durou três anos, o menino ficou morando com o pai em Santa Catarina enquanto a mulher se mudou para Curitiba junto ao novo companheiro, Francisco Domenny, de 22 anos. Segundo a polícia, eles começaram a disputa pela guarda do filho, que foi deferida pela Justiça ao pai. As investigações ainda apontaram, conforme a PC, que a mãe e o atual companheiro foram até Blumenau (SC) em setembro do ano passado para visitar a criança, mas acabaram levando o menino embora, sem devolvê-lo e evitando qualquer contato com a vítima. No dia 2 de dezembro, o pai mandou mensagem para a suspeita avisando que uma decisão judicial o dava o direto de buscar o menino. A mulher, então, afirmou não ter condição de levar o filho até o estado catarinense e pediu que ele fosse até Curitiba, segundo a polícia. O crime De acordo com o delegado Tiago Nobrega, João foi morto ao procurar um endereço passado pela mulher para buscar a criança. O delegado afirmou que o crime teve "requintes de crueldade" e a morte da vítima era planejada pelo casal. Ainda conforme a polícia, a mãe da criança chegou a espalhar pelo bairro que a vítima havia abusado sexualmente do menino. Exames comprovaram que não houve abuso, segundo a PC, e o objetivo da mulher era instigar os moradores do local contra João. No endereço indicado pela suspeita, a vítima foi levado por uma mulher até outro local, onde foi abordado e espancado por quatro pessoas encapuzadas. Ele não resistiu aos ferimentos. O corpo da vítima foi encontrado no dia 5 de dezembro em uma estrada rural da região. Ainda conforme a polícia, um dos suspeitos de agredir João até a morte foi preso em 21 de janeiro. Ele tem 19 anos e deve responder por homicídio qualificado. Além dele, a PC identificou como autores do crime também a mãe da criança e o atual namorado dela. Eles são foragidos pelos crimes de homicídio qualificado e subtração de incapazes. Veja mais notícias do estado em g1 Paraná.