Ibovespa fecha acima dos 100 mil pontos pela 1º vez desde março

11 Julho 2020

Ibovespa fechou a semana aos 100.031,83 pontos

Amanda Perobelli/ Reuters - 25.07.2019

O Ibovespa fechou em alta nesta sexta-feira (10) e termina a semana

acima dos 100 mil pontos pela primeira vez desde março. A marca chegou a ser alcançada no início do pregão de quinta-feira (9), mas não foi sustentada devido ao ambiente externo desfavorável.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa subiu 0,88% nesta sexta, a 100.031,83 pontos, maior patamar de fechamento desde o dia 6 de março. O volume financeiro da sessão somou R$ 24,2 bilhões.

Na semana, acumulou alta de 3,38%, mantendo em julho o viés positivo dos últimos três meses, apoiado no cenário de juros bastante baixos no país e sinais de que o pior para atividade econômica brasileira pode ter ficado para trás.

Embora continue distante dos quase 120 mil pontos que alcançou no final de janeiro, o Ibovespa já acumula valorização de cerca de 60% desde as mínimas do ano registradas em março.

Para o analista José Falcão, da Easynvest, correções e realização de lucros não estão descartadas, mas o movimento principal da bolsa é de alta e não há sinais de mudança dessa tendência. "O cenário é positivo, de bolsa em alta, sem sinais de reversão nesse momento", reitera ele.

Destaques

- CVC BRASIL ON saltou 14%, a R$ 22. A operadora de turismo anunciou um aumento de capital que pode chegar a R$ 703 milhões, com subscrição privada a R$ 12,84 por ação. O valor representa um desconto de 33,5% em relação à cotação de fechamento do papel da véspera, de R$ 19,30. Analistas do BTG Pactual consideraram o anúncio positivo, embora ainda enxerguem um cenário desafiador para o setor nos próximos trimestres. No ano, as ações da CVC acumulam queda de quase 50%.

- COGNA ON disparou 11,05%, em meio a expectativas para o IPO de sua subsidiária de educação básica Vasta nos Estados Unidos, após a companhia pedir no começo da semana registro para a oferta. Em relatório na ocasião, a Guide Investimentos considerou a notícia positiva, acrescentando que, caso operação ocorra, a Cogna conseguirá levantar um montante importante para readequação da sua estrutura de capital. A ação lidera as altas do Ibovespa no mês.

- PETROBRAS PN subiu 1,67% e PETROBRAS ON avançou 1,55%, na esteira da alta dos preços do petróleo no mercado externo.

- VALE ON fechou com elevação de 0,97%, mesmo com declínio dos preços futuros do minério de ferro na China, que, entretanto, tiveram seu maior ganho semanal desde meados de maio, com o otimismo crescendo em relação às perspectivas de demanda do maior produtor e consumidor mundial de produtos siderúrgicos.

- ITAÚ UNIBANCO PN avançou 0,93%, mesmo após sua unidade no Chile registrar uma baixa contábil sem efeito caixa referente a perda de 930 milhões de dólares com ativos. No setor, BRADESCO PN subiu 1,46%.

- QUALICORP ON fechou em baixa de 2,53%, com outras ações do setor de saúde também entre os destaques negativos. NOTRE DAME INTERMÉDICA ON perdeu 1,79% e FLEURY ON recuou 1,01%. Na contramão, HAPVIDA ON subiu 0,9%.

- ELETROBRAS ON e ELETROBRAS PNB caíram 1,33% e 2,01%, respectivamente, em sessão de ajustes, após alta expressiva na véspera, em meio a expectativas relacionadas à privatização da elétrica estatal.

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree