Compra por impulso pode levar ao endividamento. Veja como evitar

16 Setembro 2020

Educadoras pedem cautela nas promoções

GABRIELA BILó/ESTADÃO CONTEÚDO

Em momentos de crise econômica, como a que estamos vivendo com a pandemia do

novo coronavírus, todo cuidado é pouco para não gastar demais e comprometer suas finanças.

Leia mais: Confira 5 dicas para não cair nas promoções da quarentena

Um levantamento feito pela CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo) apontou que o endividamento atingiu 67,5% das famílias brasileiras em agosto.

Leia mais: Muitas dívidas? Veja quais contas você deve priorizar o pagamento

Teresa Tayra, educadora financeira, afirma que "as promoções são ótimas oportunidades para quem já planejava comprar algo". Ela ressalta, porém, que só é para gastar se tiver condições

Para Jenifer Corrêa, especialista em educação financeira da conta digital alt.bank, "é fundamental que as pessoas não comprem apenas por impulso, motivadas pelos anúncios de promoções, sem considerar as despesas e orçamento que já tenham mensalmente".

Leia mais: Confira 8 dicas minimalistas para evitar compras por impulso

Confira algumas dicas elaboradas pelas educadoras:

1- Não Compre por impulso

É importante estar atento aos "gatilhos" mentais que despertam o desejo de comprar algo que não precisa só por estar em promoção.

Leia mais: Consumidor terá sua nota de crédito elevada ao pagar parcela de dívida

"Anúncios como 'aproveite somente essa semana', 'último dia da oferta', '80% de desconto' às vezes são armadilhas e acionam nosso inconsciente a comprar", alerta Teresa.

2) Você realmente precisa?

Avalie se você realmente precisa comprar o item em promoção.

"Se sim, pesquise os preços em diversos estabelecimentos, e também na internet", orienta Jenifer

3) Evite parcelar as compras

Priorize compras à vista, pois nesse formato é possível negociar ainda mais descontos.

4 - Não empreste seu cartão de crédito

Nunca, em hipótese alguma, empreste seu cartões de crédito a parentes, amigos e terceiros para aproveitar as promoções.

"São inúmeros os casos de pessoas se endividaram após emprestar seus cartões e tiveram de assumir um gasto que não era seu", diz Teresa.

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree