-->

Meditação na quarentena: dicas para quem quer começar a praticar

31 Março 2020

Há pelo menos duas semanas, o Brasil entrou em estado de alerta após a confirmação da primeira morte pelo novo coronavírus. Esse foi o pontapé para que, gradativamente, as

pessoas começassem a adotar o isolamento social para evitar a propagação do risco e aumento na mortalidade. Em meio a tantas preocupações e ao bombardeio de atualizações, é sempre importante para a saúde mental ter períodos de desligamento e descanso.

Getty Images
Aprender a praticar meditação na quarentena pode ajudar a controlar a ansiedade e trazer mais relaxamento


Existem muitas pessoas buscando aprender novas práticas manuais ou físicas durante este período. Assim, a meditação é uma ótima opção para quem busca uma nova maneira de conhecer o corpo. O Delas conversou com Juliana Gontad, que é instrutora de yoga e compartilha sua rotina de meditação com os seguidores pelo Instagram (@yogabemtevi), sobre o que fazer para iniciar a praticar meditação na quarentena.

Para que serve a meditação?

Juliana explica que a meditação busca desenvolver a capacidade de presenciar o nosso ser. Para isso, o pilar em todos os tipos de práticas meditativas é a concentração. Cada modalidade trabalha com uma técnica de concentração a partir de diversos elementos, que podem variar da concentração na respiração ou em objetos que te façam permanecer no “aqui e agora”.

Como a meditação contribui para o bem-estar?

a instrutora de yoga juliana gontad está sentada em uma esteira roxa, em cima de uma estrutura de madeira; atrás dela está uma parede coberta de plantas
Reprodução/Instagram
A instrutora de yoga Juliana Gontad explica que entre os benefícios da meditação estão a melhora do sono, da organização e da concentração


De diversas maneiras. Quando passou a se tornar uma praticante regular, Juliana percebeu melhoras na concentração e maior sensação de relaxamento físico, mental e emocional. “Uma coisa que percebi em mim e de modo geral é que se dorme melhor, o descanso é mais natural”, explica.

Com uma mente descansada, a pessoa encontra ânimo para levar uma vida mais equilibrada, seja na alimentação ou nas funções do dia a dia, por exemplo. “Uma coisa vai puxando a outra”, diz a instrutora.

Leia também: Alimentos para driblar a ansiedade na quarentena

Juliana ainda acredita no lado espiritual da meditação, já que é uma prática que surgiu de países repletos de tradições ancestrais - como a Índia e o Japão. Para ela, a conexão com o espiritual tem muita conexão com o campo emocional. Para quem desejar, esses conhecimentos podem ser importantes para agregar à prática.

Encontre sua âncora

mulher sentada meditando em uma poltrona na posição flor de lótus
shutterstock
Muitas pessoas mantém o foco em posturas, respiração, paisagens sonoras e até mesmo cores para conseguir meditar


A âncora nos exercícios de meditação, segundo Juliana, seria o elemento de concentração que ajuda a meditação a fluir. Esse foco pode estar em coisas específicas. Pode ser uma postura, um tipo de respiração, um objeto para olhar, uma cor, uma paisagem sonora… São inúmeras as possibilidades e elas variam de pessoa para pessoa.

Concentre seu foco em uma modalidade

Ao praticar qualquer tipo de exercício, é importante pesquisar as diferentes vertentes daquela atividade para entender com qual você se identifica mais. Com a meditação é a mesma coisa. Contudo, Juliana indica que é importante encontrar uma modalidade na qual você possa se aprofundar. Assim, você e seu corpo podem se adequar de maneira mais focada.

Leia também: 7 apps para te ajudar a continuar mexendo o corpo

Tenha um momento de escape

duas mãos pousadas sob joelhos, meditando
shutterstock
A prática frequente da yoga expandem a concentração e o relaxamento; é importante encontrar brechas no dia a dia para meditar


O maior desafio das pessoas na rotina habitual é encontrar uma brecha no dia a dia para manter a prática. “Para que os resultados sejam mais impactantes, o importante é manter uma regularidade”, explica Juliana. Se optar por começar a meditação na quarentena, pode ser mais fácil incluir o novo hábito no cotidiano quando o isolamento social tiver seu fim.

Juliana ainda explica que esse também é um desafio para pessoas que já praticam há mais tempo. “Todos precisamos encontrar um ritmo para continuar motivado”, diz.

A postura é fundamental para os exercícios

mulher medita em posição de flor de lótus
Thinkstock Photos
A posição Flor de Lótus (foto) é a mais adotada para meditar; também é possível realizar o exercício deitado ou sentado em uma cadeira


É muito importante que o corpo esteja naturalmente alinhado durante a meditação. A coluna precisa estar ereta e totalmente apoiada nos ísquios (os ossinhos que ficam nos glúteos). A cabeça precisa seguir esse prolongamento da coluna.

A posição mais conhecida é a de Flor de Lótus, em que a pessoa se senta no chão com as pernas cruzadas e as mãos ficam sob os joelhos ou cruzadas em frente ao corpo. Quem não se sentir confortável pode fazer o exercício sentado em uma cadeira: sente-se com a coluna ereta e com os pés no chão.

Agora, caso sinta que precise relaxar mais ou de um apoio maior na coluna, também é possível meditar deitado. Mas cuidado onde for praticar: o nível de relaxamento é tão grande que muitas pessoas acabam caindo no sono. Opte por fazê-lo se não estiver com pressa ou antes de dormir.

Tenha um cantinho da meditação

casal meditando em tatame
shutterstock
Separe um espaço em casa para que tenha um lugar fixo para sua meditação


Quanto mais a pessoa vai dominando a prática, com mais facilidade consegue meditar em qualquer lugar. Mas, tanto para iniciantes como avançados, Juliana indica a importância de estar em um lugar tranquilo, arejado, limpo e confortável. “Esses critérios, apesar de não serem essenciais, fazem toda diferença”, diz. Para manter a disciplina, tenha sempre um cantinho fixo de meditação.

Em casa, deixe um espaço para que você possa praticar todos os dias. “Pode ser a mesa da cozinha ou uma cadeira de meditação, mas reservar esse espaço é importante até para fazer disso uma tarefa diária”, explica a instrutora.

Depois que a quarentena acabar, encontre espaços em ambientes que frequenta no dia a dia para que seja possível escapar e meditar alguns minutos todos os dias. Assim, fica mais fácil encontrar brechas na rotina e tirar um tempinho para focar na prática.

Leia também: como lidar com o tédio e a ansiedade durante o isolamento social

Bônus: “Como alcançar a iluminação pela meditação?”

Quem vai iniciar na prática de meditação pode ter na mente a ideia de que a prática leva a algum tipo de “elevação” do ser. Para desmistificar isso, Juliana compartilha uma experiência pessoal que teve com ninguém menos que Monja Coen.

Ela e sua turma do curso de capacitação do Instituto de Ensino e Pesquisa em Yoga (IEPY) tiveram um encontro com a budista e, durante o bate-papo, uma das alunas perguntou como era possível alcançar, por meio da meditação, a iluminação. “A prática é a própria iluminação”, foi a resposta.

“A gente não têm que encontrar na meditação um estado inalcançável”, explica Juliana. Se você pretende iniciar a prática de meditação na quarentena, lembre-se de que está fazendo para se conectar com o presente e se conectar com o seu interior. Essa é a iluminação que basta.

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree