Como escolher a melhor cafeteira para você? Veja 9 tipos e saiba as diferenças

22 Novembro 2019

Há quem não dispense um cafezinho feito do modo tradicional, com o auxílio dos utensílios indispensáveis, como o coador – que pode ser de papel ou de pano –,

mas há também quem prefira a praticidade de fazer a bebida na cafeteira e ganhar tempo com isso.

shutterstock

O que pouca gente sabe é que há diversos tipos de cafeteiras, e para te ajudar a definir a melhor opção para você e para seu bolso, o Receitas Culinárias conversou com Arthur Malaspina, especialista em qualidade e treinamento do Octavio Café, e com Stella Gross, barista e coordenadora de cafés da Rede Fran's Café.

Saiba mais sobre as alternativas:

1. Cafeteira aeropress

cafeteira aeropress
shutterstock

Conforme explica Malaspina, a aeropress foi criada por um inventor de brinquedo que adorava café e desejava fazer uma cafeteira no estilo de brinquedo. Por isso, ela é toda feita de plástico de "alta qualidade" para não interferir no sabor da bebida.

Stella fala que o objeto parece com uma seringa. "É adicionado o pó de café e água quente no equipamento. Em seguida, o embolo é pressionado e o ar empurra a água, fazendo a extração do café. O café fica encorpado e saboroso", garante ela.

Arthur Malaspina complementa: "Ela vai extrair o café sob a pressão do ar. Isso vai resultar em uma bebida com acidez destacada, um corpo mais suave, mais leve", explica o especialista. "Ela custa, em média, de R$ 200 a R$ 300 reais", afirma.

2. Cafeteira francesa

cafeteira francesa
shutterstock

Esse é um dos tipos de cafeteiras mais populares. "A cafeteira francesa é um utensilio de vidro com um filtro acoplado. Mistura-se o pó de café e a água quente, aguarda-se cerca em quatro minutos e, em seguida, o filtro deve ser empurrado para baixo, separando o pó de café da água. Resulta em uma bebida leve e saborosa, mas que deve ser consumida imediatamente", ressalta a barista da Fran's Café.

"Nesse caso, temos que usar uma moagem grossa, porque as médias ou finas passam pela telinha de arame da cafeteira, que é responsável por filtrar e separar o pó da bebida. Esse método resulta em uma bebida bem intensa, rica em cafeína, porque o pó e água ficam juntos o tempo todo", salienta Malaspina.

O utensílio tem em vários tamanhos e, segundo o especialista do Octavio Café, o modelo menor custa cerca de R$ 80 e faz duas xícaras de café. As mais caras chegam a fazer 12 xícaras e, para adquiri-las, é bom se preparar para desembolsar R$ 200 ou R$ 300.

3. Cafeteira de expresso

cafeteira expresso
shutterstock

O café expresso surgiu na Itália e exige alta temperatura e moagem precisa. "O pó de café é dosado, compactado e extraído sob pressão, resultando em uma bebida encorpada, rica em óleos aromáticos e sabor marcante", diz Stella. Ela custa, aproximadamente, R$ 200.

Leia também: Dia do café! Dicas e receitas com a bebida mais amada pelos brasileiros

4. Cafeteira italiana

cafeteira italiana
shutterstock

Também conhecida como mocha, essa cafeteira extrai o café por pressão da água. "Ela, nada mais é, do que uma máquina de expresso, só que invertida. Seu sentido é de baixo para cima", conta Arthur Malaspina.

" Cafeteria italiana normalmente é produzida em alumínio. Na parte inferior da cafeteira é adicionada água fria e na parte central é o pó de café. Rosqueia-se a parte superior da cafeteira e ela deve ser levada ao fogo. Com o aumento da temperatura, a água contida na parte inferior é pressionada para cima, atravessando o pó de café e a bebida fica armazenada na parte superior. A bebida fica bem forte e quente", explica Stella Gross.

A cafeteira é mais barata que as demais. Com R$ 50 é possível comprar a mocha pequena e aproveitar os benefícios.

5. Cafeteira de cápsula

cafeteira de cápsula
shutterstock

De acordo com Stella Gross, esse é um tipo prático e higiênico de cafeteira, uma vez que a dose de café já vem em cápsulas de alumínio ou plástico.

"O café está dentro de um recipiente, com uma moagem bem fina, igual pó de expresso. Essa máquina tem uma pressão de água que vai passar pelo café moído e sair uma bebida com textura muito próxima a um expresso. Ela sai com o corpo pesado, uma crema legal, então é, também, por pressão de água", comenta Malaspina. O valor médio da cafeteira de cápsula é R$ 200.

6. Cafeteira turca

cafeteira turca
shutterstock

A cafeteria turca custa, aproximadamente, R$ 60, e proporciona uma bebida "forte e aromática", uma vez que o café tem uma moagem muito fina e, por isso, ele não é coado. "É uma jarra de alumínio que a gente chama de Hibric, que é onde preparamos o café turco. Para fazer o café turco, fazemos a moagem bem fina do pó, coloca o pó e a água juntos e aí colocamos para ferver três vezes", conta Malaspina.

"Como a moagem é bem fina, ela vai decantar no fundo dessa panelinha. Depois de três vezes fervida, é só servir. Então, o pó e a água ficam juntos. Esse é o famoso que café que fica a borra no fundo da xícara, onde a pessoa depois pode ler a sua sorte e seu futuro", afirma.

O especialista diz ainda que algumas pessoas costumam consumir esse tipo de café com uma semente de cardamomo, que lembra a erva doce. "Ela aromatiza a bebida, porque beber a água e o pó juntos é para quem gosta mesmo", salienta.

7. Cafeteira globinho

cafeteira globinho
shutterstock

Stella fala que o princípio é o mesmo da cafeteira italiana, porém ela é feita com vidro. Malaspina explica como o utensílio funciona: "O globinho, como é popularmente conhecido, chama-se, na verdade Syphon Coffee, que é uma cafeteira que extrai o café pela pressão do vapor da água. Para isso, temos dois recipientes, um superior e outro inferior", inicia ele.

"No inferior, colocamos a água quente, encaixamos a parte de cima e colocamos uma chama embaixo. Esse calor vai fazer com que a água crie um vapor, que não tem por onde sair, só por um caninho que está na superfície superior. Assim, esse vapor empurra a água e a única saída vai ser o caninho, que faz o vapor entrar em contato com o pó de café lá em cima. Quando ele sobe, começa a extração. Aí deixamos o tempo que queremos", complementa.

Enquanto o fogo fica embaixo, o café e a água entram em contato na parte de cima. Quando o fogo é desligado, a pressão sobe e a água desce já filtrada, uma vez que há um filtro na parte superior.

Segundo os profissionais, a bebida fica muito saborosa, intensa e quente. Esse tipo de cafeteira é caro, e pode custar até R$ 600.

8. Cafeteira Chemex

cafeteira chamex
shutterstock

Chemex consiste em uma jarra de vidro onde o porta-filtro e o recipiente onde cai o café são intercalados. "É uma espécie de um funil de vidro. Nesse caso, usa-se um filtro triplo de papel, para uma filtragem tripla do café, o que resulta em uma bebida mais suave, com uma acidez bem destacada", conta Arthur Malaspina. O preço desse tipo de cafeteira varia, mas a média é de R$ 200 a R$ 300.

9. Cafeteira elétrica

cafeteira elétrica
shutterstock

Esse tipo de cafeteira é usada com coador de papel. "Deve-se colocar a quantidade de água no compartimento da cafeteira e pó de café no coador de acordo com o volume de bebida a ser preparada", explica Stella.

"A vantagem desta cafeteira é que ela aquece a água na temperatura ideal para o preparo do café e mantém a bebida quente. O ideal é que o café seja consumido em até uma hora após seu preparo", complementa.

A cafeteira elétrica é um dos tipos mais comuns, e frequentemente utilizado para o preparo do cafezinho no dia a dia. O valor varia, mas a média de preço é R$ 55.

Leia também: Nem aguado nem forte demais! Veja dicas de como fazer café sem erros

Qual é o melhor método para fazer café?

café
shutterstock

Malaspina explica que fazer o café com o auxílio da cafeteira é uma boa alternativa para ter a bebida sempre fresca, mas destaca outros fatores que contribuem para que a bebida fique perfeita.

"A validade do grão é muito importante. Quanto mais próximo da data de torra do café, mais frescor e complexidade em sabor e aroma teremos. Na cafeteira, normalmente, temos a possibilidade de escolher o método que queremos", enfatiza ele. Stella Gross, por sua vez, diz que "todos os métodos de café são válidos e devem ser usados de acordo com a preferência e possibilidade de quem prepara".

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree