Opera Venus: Mariana Degani mergulha nas simbologias venusianas em novo álbum

04 Junho 2020
Divulgação

Mariana Degani lança, nesta quinta-feira (4),  seu novo álbum de estúdio, intitulado ‘Opera Venus’. Diferente de FURTACOR, seu primeiro disco, esse foi pensado, criado e produzido como um projeto

em sua totalidade.

O trabalho nasceu de maneira natural, resultado de anotações, desejos sobre o tema, frases e pedaços de poesia que a artista foi, ao longo do tempo, colecionando. Do começo ao fim, o álbum se vale da antropofagia, com recortes e colagens que dão o tom de um “trop-hop”, isto é, um trip-hop-tropicalista com algumas pitadas de trap. Os beats e arranjos têm sua gênese na interação da voz com as primeiras linhas de baixo criadas para uma primeira audição das canções no ano passado.

“Esse trabalho foi gestado em 2019. E ele nasce num momento em que o planeta nos mostra que a forma como temos nos organizado, como sociedade, não vai bem. OPERA VENUS é OBRA e OPERAção para a criação de um novo mundo, com influências e princípios que são símbolo do amor, da beleza, do prazer, da fertilidade e do feminino”.

Ouça ‘Opena Venus’:

Ao mesmo tempo que se dedicava ao álbum, Mariana Degani gestava um bebê. Nina, que nasceu depois de pronto o trabalho, é também o fruto desta OPERA VENUS.  “Acho que é por isso que o disco carrega essa coisa tão elementar que é a vida, a expectativa do “o que será?” e os questionamentos incontornáveis “de onde ela vem?”, ou do famoso “existirmos: a que será que se destina?”, do Caetano”, finaliza.  

Gravado no Estúdio Guevara, de forma independente, “OPERA VENUS” já está disponível em todas as plataformas de música. Com duas faixas co-produzidas  por Paiva Prod, o disco foi mixado por Alejandra Luciani e masterizado por Maurício Gargel.

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree