Xenobots: os primeiros robôs feitos com células de seres vivos

17 Janeiro 2020
K2_ITEM_AUTHOR 

Diferente de qualquer robô tradicional ou espécie de animal já visto antes. É dessa forma que podemos descrever os xenobots, os primeiros robôs criados utilizando células animais em laboratório. Através do

uso de células-tronco de embriões de sapo, um grupo de pesquisadores foi pioneiro na criação de "robôs-vivos", que podem ser programados de acordo com o desejo da ciência.

Os xenobots foram a primeira vez que a humanidade conseguiu construir uma máquina biológica completamente do zero. De acordo com a publicação dos pesquisadores na Proceedings of the National Academy of Sciences, os pequenos robôs podem ter múltiplas funcionalidades para o futuro: desde ajudar na limpeza dos oceanos até carregar medicamentos dentro do corpo de um paciente médico. Além de serem organismos programáveis, os robôs tem a capacidade de se curarem quando forem danificados - mesmo em lesões extensas.

Criando um design para os robôs

(Fonte: Unsplash)

A origem dos xenobots passa muito pela crescente quantidade de pesquisa sendo feita no setor de edição genética e criação de formas de vida artificiais. O projeto se iniciou com o uso de um supercomputador encarregado de criar diversos designs que encaixassem uma nova forma de vida. Para isso, os cientistas recorreram a um programa feito para recriar a linha histórica de evolução de um ser vivo e projetar qual tipo de design poderia corresponder às expectativas.

Portanto, dependendo da função que os pesquisadores desejassem aos robôs, a máquina entregaria potenciais modelos para o xenobot. Depois, foi a vez de um microcirurgião assumir o comando da operação. Com o design em mãos, ele foi responsável por incubar as células-tronco dos embriões de sapo africano e usar ferramentas minúsculas para cortá-las e encaixá-las dentro do modelo projetado pelo computador. Sendo assim, os cientistas fizeram o uso de material orgânico verdadeiro para conceber uma criatura jamais vista na natureza.

Atenção para o futuro

(Fonte: Unsplash)

Apesar de biodegradáveis e com vasto potencial benéfico, a criação dos xenobots despertou um alerta entre os cientistas para a utilização de material orgânico para novas criações no futuro. Ainda sem compreender totalmente a complexidade do novo sistema, os pesquisadores acreditam que a nova tecnologia pode se desenvolver em algo que a mente humana será incapaz de antecipar o comportamento e, assim, a ciência perderá o controle.

Porém, os novos estudos levam a crer que, aos poucos, a comunidade cientifica se habituará aos novos comportamentos e caminhará para uma maior compreensão dos fatos.

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree