-->

Rafael Sóbis ganha ação do Cruzeiro e vai receber R$ 3,2 milhões

16 Setembro 2020
Lance Lance

O Cruzeiro foi condenado a pagar de R$ 3,2 milhões ao atacante Rafael Sobis, que atualmente joga pelo Ceará. A decisão é em primeira instância da Justiça do Trabalho de Belo Horizonte. A informação foi noticiada inicialmente pelo Globoesporte.com e confirmada pelo L! O clube azul ainda pode recorrer da sentença.

Sobis acionou a Raposa na Justiça em setembro de 2019, pedindo mais de R$ milhões pelo não cumprimento de acordo feito no momento da rescisão contratual entre o clube e o jogador, que deixou o time celeste, em janeiro do ano passado.

Nos cálculos do jogador e sua defesa, cerca de R$ 3.296.515,55 se referem a premiações, férias, cláusula compensatória desportiva e 13º salário de 2018 mais R$ 697.142,85 referentes a direitos de imagem de outubro, novembro e dezembro de 2018.

No acordo, que teria sido selado com Rafael, o Cruzeiro teria de ter pago o valor de mais de R$ 3 milhões dez prestações e o segundo, de quase R$ 700 mil, em quatro.Somente uma primeira parcela de cada débito foi paga.
Sobis defendeu o Cruzeiro entre 2016 e o fim de 2018. No período, fez 24 gols em 116 jogos. Conquistou duas vezes a Copa do Brasil (2017 e 2018) e uma vez o Campeonato Mineiro (2018).

Além da dívida direta com o jogador, a Raposa está envolvida em outra disputa, desta vez com o Tigres, do México, ex-clube de Sóbis, por uma dívida com os mexicanos de R$ 17, 2 milhões pela compra do jogador, em 2016. O caso foi levado à FIFA, com risco de nova punição e proibição para registrar novos jogadores. Todavia, o débito foi escalonado e um acordo para o pagamento de todos os valores acertados entre Cruzeiro e Tigres.

O Cruzeiro se posicionou sobre o caso por meio de nota. Confira abaixo:

"A verdade é que não houve uma condenação no valor citado. O que ocorreu foi a rejeição dos pedidos do atleta em relação aos seus direitos de imagem, julgados improcedentes, e a determinação de que os demais valores fossem objetos de liquidação de sentença. Ou seja, não se sabe ainda qual o valor exato da condenação. Os R$ 3.2 milhões são uma ficção jurídica, uma quantia estimada pelo juiz, apenas e tão somente para fins de cálculos das custas processuais e eventuais recursos, dos quais o Cruzeiro se utilizará.

Como é de conhecimento público, o passivo do Cruzeiro é elevado, conforme externado inclusive nas Demonstrações Financeiras Intermediárias, disponível no Portal de Transparência. As eventuais condenações trabalhistas não são surpresas para o Clube, que possui planejamento e mapeamento de todos os casos."

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree