-->

Orgulho africano: Salah, Mané e Aubameyang fazem história na Inglaterra

14 Mai 2019
The Sun/Reprodução
Salah, Aubameyang e Mané terminaram como artilheiros na Inglaterra

Em tempos de avanço da direita e das políticas restritivas à imigração na Europa, o campeonato nacional mais importante do continente,

o da Inglaterra, viu um fenômeno inédito acontecer.

Pela primeira vez três estrangeiros dividiram a artilharia da Premier League na Inglaterra. Ironia do destino, três africanos, filhos do continente de origem da maior parte daqueles que deixam suas casas em busca de uma vida melhor no lado norte do Mar Mediterrâneo.

Salah, Mané e Aubameyang marcaram 22 gols na competição que terminou domingo. O egípcio, o senegalês e o gabonês representam um crescimento da representatividade dos jogadores africanos no campeonato.

O primeiro a ficar entre os dez maiores goleadores foi Kanoute, pelo West Ham, em 2001. Uma evolução que segue desde o primeiro africano a disputar a Premier League, em 1992 - Ndlovu, do Zimbábue, pelo Coventry City.

Mohamed Salah de braços abertos
Reprodução/ Twitter
Mohamed Salah, astro do Liverpool

Salah igualou o feito de Drogba, duas vezes artilheiro do Campeonato Inglês, ambas pelo Chelsea. A geração do marfinense teve papel fundamental na consolidação dos africanos no futebol na Terra da Rainha. Ele teve como contemporâneos jogadores do nível de Yaya Touré, Adebayor e Essien.

Trio de histórias diferentes

O caminho mais difícil para chegar até domingo foi o que Salah traçou. O atacante, mesmo sendo desde as categorias de base um talento do futebol, se profissionalizou no país de origem. Passou dois anos no Al Mokawloon, de Cairo, antes de entrar no Velho Continente via Suíça. A partir do Basel, aos 20 anos, subiu os degraus até o brilho na Premier League.

Mané comemorando gol
Reprodução/Twitter/LFC
Mané também se destacou no Liverpool

Outra trajetória, essa mais comum aos africanos na Europa, é a de Mané. Como tantos outros garotos nascidos em países que foram colônia francesa, ele se mudou para a ex-metrópole ainda menor de idade, para integrar as divisões de base do Metz, clube da cidade homônima no norte da França. Chegou ao Liverpool aos 24 anos. Desde a saída de Philippe Coutinho virou protagonista dos Reds.

Para completar a odisseia africana no continente europeu, há o exemplo de Aubameyang. Nascido na França, filho de um jogador do Gabão, honrou as origens. Apesar dos convites para defender a seleção francesa, o que aconteceu nas divisões de base, ele optou pelas cores da equipe africana. Foi uma maneira de reverenciar o passado do pai.

Aubameyang de braços abertos
DIVULGAÇÃO/ARSENAL
Aubameyang faz excelente temporada no Arsenal

Ele e Mané se juntaram a Drogba e a Salah, que já havia sido o artilheiro da Premier League passada, e agora somam quatro africanos ao menos uma vez goleadores máximos da competição. O feito coloca a Inglaterra no mesmo patamar que a França, que também já teve quatro africanos no topo da artilharia no mesmo período, desde 1993.

A título de comparação com a Inglaterra, a Alemanha só teve dois artilheiros africanos no mesmo recorte. A Espanha, um, e a Itália, nenhum.

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree