Ex-nadadora olímpica dos Estados Unidos acusa treinador de abuso sexual

17 Março 2018
Ariana Kukors é ex-nadadora da equipe dos Estados Unidos
Reprodução
Ariana Kukors é ex-nadadora da equipe dos Estados Unidos

Ariana Kukors é ex-nadadora da equipe nacional dos Estados Unidos. Iniciou sua carreira

na natação ainda quando criança e em 2009, foi campeã mundial dos 200 metros medley. Hoje, aos 28 anos de idade, ela acusou um ex-treinador da delegação norte-americana de abuso sexual, que teve início quando ela tiha 16.


Segundo a ex-nadadora olímpica, que representou seu país nos Jogos de Londres 2012, tudo começou quando ela tinha 13 anos. Ela relata que Sean Hutchison, o então técnico da equipe nacional de natação dos EUA, começou a "prepará-la" para uma relação sexual. "Eu percebi que histórias como a minha são muito importantes para serem esquecidas”, afirmou Kukors em um comunicado.

Após a denúncia, o Departamento de Segurança Nacional dos EUA emitiu um mandato de busca na casa de Hutchison, em Seattle. O clube de natação que pertence ao treinador, o King Aquatic Club, informou em nota que a notícia "dilacerou nossos corações". A nadadora relatou que o primeiro contato com o treinador aconteceu naquele clube, onde passou a treinar sob as orientação dele.


"Nunca pensei em compartilhar minha história porque, de muitas maneiras, apenas sobreviver foi o suficiente", disse Ariana Kukors. "Que outras meninas e meninos não passem pela mesma dor, trauma, horror e abuso. Que os seus pais, mentores e responsáveis sejam capazes de detectar os sinais de abuso e perceber suas trágicas consequências antes que seja tarde demais".

Denúncias nos esportes

Ariana faz parte de um grupo de mulheres que denunciou superiores às autoridades olímpicas dos Estados Unidos. O caso de maior repercussão até agora é o do ex-médico da seleção de ginástica, Larry Nassar. Ele cometeu abuso sexual em centenas de meninas e mulheres e se declarou culpado. Além disso, as vítimas criticam as autoridades por terem fechado os olhos diante dos acontecimentos e a lentidão na qual tratam do assunto.

"Assim como o Comitê Olímpico dos EUA sabia sobre Larry Nassar antes de sua prisão e não fez nada, a equipe de natação dos EUA havia notado em 2010 que Sean Hutchison estava envolvido em uma relação inapropriada técnico-atleta com Ariana e não tomou medidas para protegê-la ou proteger outras nadadoras”, afirmou o advogado da ex-nadadora, Robert Allard.

K2_LEAVE_YOUR_COMMENT

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree