-->

Casal é suspeito de receber salário de quase R$7 mil sem exercer função na Prefeitura de Marituba, no Pará

11 Junho 2019

Segundo ao MPPA, os dois estavam em Miami até o último domingo (9), frequentando lugares luxuosos. Prefeitura de maritubaReprodução / TV Liberal Uma investigação do Ministério Público do Pará
(MPPA) apura a denúncia de que um casal de servidores da Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplan) de Marituba, região metropolitana de Belém, estaria recebendo quase R$7 mil da Prefeitura, sem exercer função, ato conhecido como "funcionário fantasma", configurando ato de improbidade administrativa. As investigações chegaram em fotos publicadas em dezembro de 2018 nas redes sociais onde o casal aparece em um cruzeiro. Em janeiro, segundo o MPPA, ambos aparecem em São Paulo e até o último domingo (9), estavam em Miami, frequentando lugares luxuosos. Uma fiscalização na secretaria foi realizada nesta terça-feira (11) pela 3ª Promotoria de Justiça. Na verificação prévia foi constatado que os dois suspeitos foram nomeados no dia 3 de abril de 2017 em cargos de assessoria especial 4, um dos mais altos, com vencimentos de quase R$4 mil. A promotora Ana Maria Magalhães informou que "não consta portaria de férias, em nenhuma das ocasiões, segundo o site da transparência". Na visita à Seplan, a promotora constatou ainda que demais servidores não conheciam o casal. À promotora, o secretário de Planejamento, Antônio Coutinho, disse que o casal prestava serviço para inserir dados no Portal da Transparência e que, por esta razão, não batem ponto nem estão presencialmente na secretaria. De acordo com a promotora Magalhães, o secretário não soube informar o endereço onde os servidores poderiam ser encontrados e que eles prestam serviço em outro local, mas também não soube dizer onde é o local e nem que o casal estaria em Miami. Ainda segundo as investigações, a suposta 'funcionária fantasma' é sócia de uma empresa de sites eletrônicos, o que não é permitido pela lei municipal, que proíbe que servidores públicos participem de sociedade comercial. “Isso tudo nos leva a crer que a denúncia procede, mas iremos ouvir mais uma vez, ainda esta semana, o secretário da Seplan de Marituba e outras testemunhas. Os servidores deveriam cumprir no mínimo 6h de trabalho para o município, no entanto isso não está ocorrendo”, afirmou a promotora. Outro lado "A Prefeitura Municipal de Marituba comunica que os servidores Ana Cláudia Mussi Haase e Ricardo da Fonseca ocupam o cargo de assessor, com a função específica de alimentar o Portal da Transparência, serviço executado com excelência pelos referidos servidores, o qual, inclusive, foi reconhecido pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) ao premiar município de Marituba com o título de Gestão Transparente logo na sua primeira edição, em 2016, e em 2017 e 2018, sendo que somente três municípios no Estado do Pará ganharam essa premiação nos três anos consecutivos. No mês de junho, os referidos servidores estão no gozo de férias." A reportagem do G1 tentou falar com os investigados, mas ainda não obteve retorno.
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree