Com mais segurança, 1 em cada 3 paulistanos trocaria carro por bike

Paulistano quer mais segurança para usar bicicleta como meio de transporte Diego Padgurschi/Folhapress

O aumento da segurança é o principal fator para que os paulistanos escolham a bicicleta como meio de transporte, de acordo com pesquisa anual "Viver em São Paulo: Mobilidade Urbana", realizada pela Rede Nossa São Paulo, que será divulgada nesta terça-feira (10).

Segundo o levantamento, 33% dos entrevistados elegeram o tema como fundamental ao avaliarem a possibilidade de trocar o carro ou o transporte coletivo pelas pedaladas — em 2018, eram 30%,

Leia mais:Ativistas criticam Prefeitura de SP por falhas em obras nas ciclovias

Construção de ciclovias que interliguem as diferentes regiões da cidade e distâncias menores ocupam a segunda posição no estudo (20%) deste ano. A topografia da cidade — menos subidas, ladeiras e morros — (18%) e mais sinalização nas ruas (16%) são os outros tópicos mais destacados pelos entrevistados.

No entanto, a falta de vestiários, bicicletários, condições de saúde e até a ausência de opções de locomoção também foram lembradas na pesquisa da Rede Nossa SP. Já outros 23% dos moradores de São Paulo ouvidos no levantamento não utilizariam a bicicleta como alternativa de transporte sob nenhuma hipótese.

Reprodução/Rede Nossa São Paulo

Violência no trânsito

Se a disposição em experimentar a ciclovia como forma de transporte na cidade é afetada pela segurança do usuário, a criminalidade e a violência no trânsito paulistano são fatores que desestimulam o uso de ciclovias e ciclofaixas na capital.

Furtos e roubos praticados nas ruas e avenidas da cidade representam o maior temor para 35% dos entrevistados neste ano, porcentagem que já foi mais alta nas pesquisas de 2016 e 2017 (47%).

O desrespeito de parte dos motoristas por usuários de outros meios de transporte afligiu 26% da população na aferição deste ano — ante a 37% e 35% nos dados coletados em 2016 e 2017, respectivamente.

Deslocamentos por SP

A Rede Nossa São Paulo fez outros questionamentos relativos à mobilidade urbana na cidade. O estudo constatou que mais da metade dos entrevistados (58%) leva até 2h por dia para se deslocar pela cidade.

O tempo médio diário de deslocamento para realização da atividade principal caiu dez minutos em relação ao ano passado e, em 2019, foi de 1h47.

Metodologia

O levantamento da Rede Nossa São Paulo, iniciado há 12 anos, 800 entrevistas
(presenciais e online) com moradores de todas as regiões da capital paulista — com idade igual ou superior a 16 anos — entre os dias 3 e 19 de agosto para a edição de 2019.

Você tem alguma denúncia? Envie um e-mail para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Compartilhe este artigo

Entre para postar comentários

Contato

Telefone: 55 3522-8882

E-mail: atendimento@oguiadacidade.com.br

 

Últimas Mensagens

Newsletter

Receba nossas notícias diariamente