-->

Em Rio Branco, museu a céu aberto em homenagem a Plácido de Castro está abandonado

05 Setembro 2019

Museu fica na região do Seringal Benfica e conta a história da morte do coronel José Plácido de Castro, herói da Revolução Acreana. Governo afirmou que busca recursos para
reformar local. Museu fica na região do Seringal Benfica e conta a história da morte do coronel José Plácido de CastroReprodução O que era para ser um dos pontos turísticos do Acre se transformou em matagal e cenário de abandono. É assim que se encontra atualmente o museu a céu aberto que conta a história da morte do coronel José Plácido de Castro, herói da Revolução Acreana. José Plácido de Castro liderou a Revolução Acreana em 1902, em um movimento de luta armada contra a dominação das tropas bolivianas em território acreano. Em 1908, o coronel foi vítima de uma embosca e assassinado. O museu fica na região do Seringal Benfica, zona rural de Rio Branco. O que foi construído para chamar atenção dos turistas está se perdendo. Região onde morreu Plácido de Castro e virou museu está abandonado no AC A passarela que dá acesso a área do museu está interditada. Por ser uma estrutura antiga, alguns pilares foram quebrados, a travessia para o outro lado só é possível por meio de uma ponte improvisada. À Rede Amazônica, a Fundação Elias Mansour (FEM), juntamente com as Secretarias Estadual de Infraestrutura (Seinfra) e de Empreendedorismo e Turismo do Acre, afirmaram que há um diálogo para buscar recursos para garantir a acessibilidade e melhorias no local. Porém, ainda não existe o recurso necessário e o serviço de limpeza vai ser feito no local. Abandono A placa de inauguração, dada no governo de Binho Marques, em 30 de agosto de 2008, está no chão. O marco principal do museu, a lápide de Plácido de Castro que relata como o coronel da Revolução foi morto, está com as letras apagadas e ilegíveis. Para Ademildo Araújo, que vive no local há mais de um ano e cuida do espaço, é lamentável o descaso com o museu. “Isso aqui é a história de Plácido de Castro, da Revolução. Tinham as placas e arrancaram tudo”, afirmou. Passarela tem estrutura danificada no museu em homenagem a Plácido de Castro Reprodução As placas que indicariam a história da morte do coronel estão em branco. Sem manutenção, as letras sumiram com o passar do tempo. Segundo o morador, o difícil acesso para o museu é outro problema. “O pessoal fala que se fosse bem estruturado aqui, vinha. Esse ramal nunca foi asfaltado. Isso aqui está tudo acabado, seu não tivesse aqui não teria mais nem esteio, pilar e nada mais. Tinham levado tudo”, finalizou.
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree