-->

Mesmo com fim da obrigatoriedade, autoescolas vão continuar oferecendo simuladores no AC

18 Setembro 2019

Fim da obrigatoriedade de simuladores para tirar habilitação começou a valer nesta segunda (16). Para alguns, medida trouxe prejuízos e outros analisam como positiva a não exigência. Fim da
obrigatoriedade de simuladores para tirar habilitação começou a valer nesta segunda (16) Arquivo pessoal O uso de simuladores na formação de motoristas não é mais obrigatório a partir desta segunda-feira (16) para quem quiser tirar a CNH na categoria B. A mudança, determinada pelo governo federal em junho passado, também altera o número de aulas para tirar a carteira, que foi reduzido de 25 para 20 horas. Ao G1, donos de autoescolas no Acre contam que fizeram investimentos de cerca de R$ 50 mil, quando foi determinada a exigência do simulador. Mesmo assim, os empresários dividem opiniões sobre a mudança. Para o empresário Queffren Liturgo, a medida não deve impactar de forma negativa as contas da empresa. Para não sair no prejuízo, o valor cobrado na autoescola dele para a categoria B aumentou em R$ 200 para quem optar por não usar simulador. Isso porque, segundo ele, a aula prática acaba tendo um custo maior. “Não é que ele [simulador] foi banido, ele é uma opção para o candidato. É muito importante para uma pessoa que nunca dirigiu fazer o simulador. Aqui na nossa autoescola, a gente vai explicar a vantagem de fazer o simulador. Inclusive, agora o preço para tirar a CNH sem simulador é mais caro, porque o custo é mais alto. E também para não deixar o equipamento parado, que custou R$ 44 mil e ainda tem a manutenção”, disse Liturgo. Já Nelson de Freitas, dono de uma autoescola, afirma que a mudança trouxe prejuízos aos empresários que fizeram investimentos altos e vão ter que deixar os equipamentos de lado. Segundo ele, desde segunda (16), quando o simulador deixou de ser obrigatório, o preço para tirar CNH em sua autoescola baixou R$ 400. “Tem o impacto no aprendizado que, com certeza, vai deixar a desejar, já que o simulador era útil. Além disso, temos um impacto financeiro, porque a autoescola vai deixar de realizar cinco aulas em cada aluno da categoria B e também o equipamento vai ficar obsoleto. Agora, para o cliente, o impacto vai ser positivo, porque os preços acabam reduzindo”, afirmou Freitas. Conforme o Sindicato dos Proprietários de Autoescolas do Acre, existem 45 autoescolas em todo o estado, sendo 18 somente na capital acreana. Segundo o presidente do sindicato, Zé Luiz, para tirar a categoria, em média, é cobrado R$ 1,5 mil, já para a AB o valor pode chegar até R$ 1,9 mil. “O simulador não vai deixar de existir, aquele aluno que desejar fazer aula no simulador e essa aula vai substituir cinco horas de aulas práticas. Nesse primeiro momento, o impacto maior é o econômico, por causa do investimento que fizemos. Mas, a gente não sabe como vai ser o comportamento do mercado e o resultado disso”, concluiu o sindicalista. Entenda as mudanças em detalhes: CNH (categoria B, carros) acaba a exigência de uso do simulador nas autoescolas para quem quiser tirar a CNH na categoria B. Fazer aulas no aparelho passa a ser facultativo; com isso, cai o número de horas/aulas obrigatórias. Ele passará de 25 para 20 horas. É a mesma carga-horária de antes de o simulador ter sido adotado. e o número de aulas noturnas será reduzido para 1 hora. ACC (cinquentinha) durante 1 ano, quem quiser guiar cinquentinhas poderá fazer as provas teórica e prática sem ter feito aulas. Somente se for reprovado, terá de passar por aulas práticas; a partir de setembro de 2020, voltam a ser exigidas as aulas, mas o número vai cair de 20 para 5 horas, sendo que apenas uma delas dever ser noturna. no exame prático, o candidato poderá usar seu próprio ciclomotor — desde que o veículo tenha, no máximo, 5 anos de uso.
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree