-->

Após polêmica com vetos, governo revoga exoneração de alguns cargos e tem novo líder na Aleac

24 Setembro 2019

Deputado Gehlen Diniz volta a representar o governo na Aleac após desentendimentos entre Legislativo e Executivo. Gehlen Diniz é o novo líder do governo na AleacReprodução Rede Amazônica/Acre Após
alguns desentendimentos entre os poderes Legislativo e Executivo, o governo do Acre nomeou um novo líder na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac). O deputado Gehlen Diniz (PP-AC) voltou a representar o governo na Casa nesta terça-feira (24) no lugar do deputado Tchê. A mudança ocorreu após o veto de alguns projetos do governo pelos deputados e a exoneração, na quinta (19), de mais de 340 comissionados. Em nota, o governou justificou que tomou a decisão após deputados derrubarem, por unanimidade, vetos governamentais a 8 projetos do Legislativo, incluindo um veto parcial sobre a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para o exercício de 2020. Nesta terça, o governo revogou a exoneração de 18 servidores do Instituto de Defesa Agropecuária do Acre (Idaf). A portaria da revogação foi publicada no Diário Oficial do Acre (DOE). Em nota, o governador em exercício, major Wherles Rocha, disse que o decreto que renomeou os servidores exonerados visa atender as exigências e preparar o setor agropecuário e a Secretaria de Produção e Agronegócio (SEPA) para as fiscalizações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). "Está agendada para novembro, de acordo com calendário do Mapa, mais uma etapa de vacinação para todo rebanho bovino e bubalino no Acre. Para cumprir essa agenda, é imprescindível o planejamento e execução realizados por esses médicos. O não cumprimento significaria um retrocesso e um prejuízo que iria orbitar na casa de milhões de reais", diz a nota. Mudança Aleac Todos os vetos aos projetos do legislativo foram unânimes, ou seja, nem mesmo a base votou a favor do governo. Após as demissões, o governo negou retaliação e alegou que a ação foi necessária pra que o estado ficasse dentro das regras da Lei de Responsabilidade Fiscal. Com a relação entre Executivo e Legislativo estremecida, o governo nomeou um novo líder. Diniz voltou a assumir o cargo e tem como prioridade restabelecer o diálogo entre os poderes. Em entrevista à Rede Amazônica Acre, o deputado disse acreditar que outras revogações vão ser publicadas no decorrer da semana. “Nossa prioridade é identificar o tamanho de nossa base, recompor, conversar com os deputados, o que já está sendo feito desde ontem [segunda-feira,23] e estão expressando os sentimentos, querem estar junto e ajudar a construir um estado melhor. Acredito que não teremos dificuldades, tenho confiança nesses deputados e devem chegar à Casa projetos importantes. Precisamos estar unidos e coesos para aprovar esses projetos”, avaliou. Sobre os deputados da base do governo também terem vetado os projetos, Diniz acrescentou que havia alguns obstáculos no diálogo entre os poderes, mas que foram retirados. “Nossa base é sólida, é maioria e vai fazer o trabalho que deve ser feito, que é aprovar os trabalhos do executivo sem surpresas e tumultos. O governador precisa trabalhar, realizar obras e não tem que ficar se preocupando constantemente com focos de incêndio na Assembleia Legislativa”, frisou. Para o deputado Roberto Duarte (MDB-AC), a relação dos parlamentares com as indicações de cargos comissionados só prejudica a população. “O governo prejudicou muito o diálogo entre o Executivo e o Legislativo, o que não é bom para a sociedade e a população do Acre. Precisa haver um entendimento entre o Legislativo e o Executivo para que a gente busque as melhorias. Não podemos aceitar que haja uma ingerência do Executivo dentro do Legislativo, os poderes são independentes”, afirmou. Colaborou Quésia Melo, da Rede Amazônica Acre.
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree