-->

Sem decreto governamental, delegacia criada para investigar crimes ambientais no AC ainda não funciona

25 Setembro 2019

Sejusp aguarda publicação do decreto para que a delegacia passe a funcionar. Anúncio de instalação foi feito no último dia 27. Delegacia vai ser instalada na 3ª
Regional de Polícia Civil, na Baixada da Sobral Reprodução/Rede Amazônica Acre Após quase um mês do anúncio, a delegacia criada para receber e investigar crimes ambientais em Rio Branco ainda não funciona. Para isso, a Secretaria da Justiça e Segurança Pública do Acre (Sejusp) aguarda a publicação do decreto governamental para que a delegacia passe a operar. No último dia 27, A Sejusp informou que ia instalar uma delegacia e um canal de acesso, exclusivos, para apurar as denúncias e flagrantes de queimadas ambientais. O anúncio foi feito após o decreto de emergência do governo devido às queimadas. O trabalho da equipe será feito em parceria com o Batalhão de Policiamento Ambiental (BPA-AC) e órgãos de proteção ao meio ambiente. Na época, a Sejusp informou que as equipes estavam sendo montadas, mas o BPM-AC começou atuar nas área rurais logo após o anúncio. Ao G1, a assessoria da Polícia Civil disse que já foram destacadas todas as pessoas que devem atuar na delegacia, que vai funcionar dentro da Delegacia da 3ª Regional da Polícia Civil. Mas, não pode instalar e nem apurar inquéritos sem o decreto. Por enquanto, os crimes ambientais são apurados pelas regionais dos bairros. A Segurança aguarda a publicação da Casa Civil. A reportagem entrou em contato com a assessoria do governo, mas foi informada que os responsáveis estavam em reunião com os deputados. O G1 também tentou contato com o secretário Paulo Cézar, da Sejusp, mas não obteve sucesso.
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree