-->

Relatório do Cimi aponta que três índios foram assassinados em 2018 no Acre

25 Setembro 2019

Foram registrados ainda dois casos de ameaça de morte e dois de tentativa de homicídio no Acre. Levantamento do Conselho Indigenista Missionário foi divulgado nesta terça (24). Relatório do
Cimi aponta que três índios foram assassinados em 2018 no AcreReprodução/Tiago Miotto/Cimi O estado do Acre registrou três assassinatos de indígenas no ano de 2018, segundo levantamento do Conselho Indigenista Missionário (Cimi). Os dados foram publicados nesta terça-feira (24). Conforme o relatório "Violência contra os Povos Indígenas no Brasil", o estado acreano registrou dois casos de ameaça de morte de indígenas e duas de tentativas de homicídio. O levantamento também registrou sete casos de "violência contra a pessoa" que podem ser abuso de poder, racismo, violência sexual e ameaças de morte no estado. O Cimi apontou os casos de invasões possessórias, exploração ilegal de recursos naturais e danos ao patrimônio de terras indígenas no ano passado. Segundo o conselho, foram registrados sete casos dessa natureza no Acre. O relatório apontou também para os dados da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai). Em 2018, foram registrados dois casos de suicídio entre esta população no estado acreano. Outro índice que o relatório destacou foi a mortalidade infantil entre a população indígena. Apenas em 2018 foram 31 casos de morte de crianças de entre 0 e 5 anos no Acre. Dados nacionais Aumentou em 20% o número de assassinatos de indígenas no Brasil em comparação com o último levantamento do Conselho Indigenista Missionário (Cimi). Os dados mais recentes são de 2018, quando foram registradas 135 mortes. No ano anterior, foram 110 casos de assassinato. Segundo o relatório, em três décadas foram 1.119 casos de assassinatos de indígenas no país. Em 2018, o estado com o maior número deste tipo de morte foi Roraima (RR), com 62 casos, seguido de Mato Grosso do Sul (MS), com 38. O relatório destacou que, apenas no ano passado, 53 indígenas foram vítimas de tentativas de assassinato em todo o Brasil. O relatório destaca para o número de atropelamentos que vitimam indígenas e a omissão de motoristas que fogem sem prestar socorro. No ano passado, 18 casos de atropelamentos fatais mataram indígenas que caminhavam ou se locomoviam de bicicleta na beira das estradas. Em 2018, foram registrados 101 casos de suicídio entre esta população em todo país, com um aumento de casos no estado do Mato Grosso do Sul que foi de 31, em 2017, para 44, em 2018. No ano passado, foram contabilizados 591 casos de morte de crianças de entre 0 e 5 anos. O Amazonas é responsável por quase metade deste número, com 219 casos.
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree