-->

Gladson nega crise com a base na Aleac e diz que agronegócio sustentável é possível

25 Setembro 2019

Governador do Acre, Gladson Cameli, chegou a pedir sugestão de nomes para a gestão do Pronto Socorro de Rio Branco: 'Me deem sugestões'. Em entrevista à Rede Amazônica Acre,
Gladson diz que quer fazer agronegócio sustentável Rede Amazônica Acre O Governador do Acre, Gladson Cameli, chega ao nono mês de sua gestão e afirmou, na manhã desta quarta-feira (25), durante entrevista à Rede Amazônica Acre, que é possível investir no agronegócio, que foi sua principal bandeira de campanha, sem desmatar. "Nossa agenda do agronegócio é um agronegócio sustentável. É importante deixar claro que eu não quero, e não há necessidade, além de não pactuar, com o desmatamento. Nós não precisamos tirar uma árvore", afirmou. Cameli, que participou da Semana do Clima em Nova York esta semana e também fez visita ao banco KFW, onde foi buscar ajuda, disse que participar desta agenda garante que o Acre vai sair na frente nos compromissos assumidos. "Nosso foco da política do agronegócio é a geração emprego. Fui para essas duas agendas e haverá uma terceira. Para o Acre sair na frente assumindo o compromisso dos acordos firmados", pontuou. O governador afirmou também que é necessário apenas cumprir o que dizem as leis e utilizar os mecanismos sustentáveis para aquecer a economia e gerar emprego e renda. Cameli defendeu que é preciso não politizar a situação das queimadas no estado, que levaram o Acre a decretar situação de emergência no mês de agosto. Ele acrescentou ainda que os órgãos fiscalizadores além de punir, também orientem os moradores. "Determinei ao comando da Polícia Militar para detectar essas queimadas e punir os responsáveis porque não vou pactuar. Agora eu preciso encontrar alternativas, que é o agronegócio sustentável, por que não o ecoturismo?" questionou. Gladson nega crise com a base na Aleac e diz que agronegócio sustentável é possível Relação com os deputados Durante a entrevista, o governador ainda afirmou que a situação com os deputados, que vetaram propostas do executivo esta semana, já está resolvida. "Quero que os poderes sejam iguais. Não vou querer tomar as decisões pelo Legislativo, mas, tivemos um alinhamento definitivo, ontem [terça-feira, 24]", pontuou. Mesmo negando uma possível crise, no dia 19 desse mês, o governo do Acre divulgou uma lista com nomes de mais de 300 servidores comissionados exonerados. Em nota, o governador afirmou que tomou a decisão após deputados derrubarem, por unanimidade, vetos governamentais a 8 projetos do Legislativo, incluindo um veto parcial sobre a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para o exercício de 2020. Nesta terça-feira (24), o governo do Acre nomeou um novo líder na Aleac. O deputado Gehlen Diniz (PP-AC) voltou a representar o governo na Casa no lugar do deputado Tchê. A mudança ocorreu após o veto dos projetos. No mesmo dia, o governo revogou a exoneração de 18 servidores do Instituto de Defesa Agropecuária do Acre (Idaf). A portaria da revogação foi publicada no Diário Oficial do Acre (DOE). Governador do Acre garantiu que não há impasse entra o governo e os deputados Rede Amazônica Acre 'Me deem sugestões' O governador respondeu perguntas dos internautas que participaram da programação e chegou a pedir sugestões para garantir um boa gestão no Pronto Socorro de Rio Branco quando foi questionado sobre o atendimento no hospital. "Me deem nomes de pessoas que realmente queiram nos ajudar a vencer esse grande gargalo. Não tenho problema nenhum em trocar e mudar. O que preciso é realmente dar uma saúde digna para o nosso povo", pontuou. Além disso, Cameli disse que as mudanças feitas no alto escalão do governo vêm ocorrendo porque ele precisa dar uma resposta à população. E ressaltou que quando pede ajuda é porque quer melhoria para todos. "Parece que há uma disputa. Não estou jogando a responsabilidade para A, B ou C. A responsabilidade é minha. Mas, vou até o final para resolver essa questão da saúde. Isso está com os dias contados e vou lutar até o último minuto, mas a saúde do nosso estado vai ser resolvida", garantiu. Segurança Gladson Cameli abordou também o tema segurança e disse que está trabalhando para melhorar o setor. Ele acrescentou que estão chegando equipamentos para reforçar o trabalho da segurança. "Só semana passada o governo federal nos liberou R$ 14 milhões, conseguimos mais um helicóptero, estamos lançando o Batalhão de Fronteiras, pedi ajuda ao governo federal, então, a nossa Secretaria de Segurança Pública está sendo reequipada e as policias vão para a rua e marcar presença", concluiu.
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree