-->

Homem é preso e adolescente apreendido suspeitos de estuprar criança indígena em aldeia no AC

25 Setembro 2019

Suspeitos também são indígenas e primos da criança, de 3 anos. Caso foi denunciado pela mãe na delegacia do Jordão. Policiais foram até a aldeia cumprir mandados de
prisão e apreensão contra indígenas Divulgação/Polícia Civil do Acre Dois indígenas da etnia Kaxinawá, de 26 e 15 anos, são suspeitos de abusar sexualmente de uma criança, também indígena e prima deles, de apenas 3 anos em uma aldeia do município do Jordão, interior do Acre. O caso chegou à Polícia Civil do Acre nesta segunda-feira (23) quando a mãe da menina procurou a delegacia da cidade. Devido às lesões, a criança foi encaminhada para a Maternidade Bárbara Heliodora, em Rio Branco. Policiais foram até a aldeia, nesta quarta-feira (25), cumprir os mandados de busca e apreensão. Os dois indígenas foram encontrados no local e levados para a delegacia do Jordão. Abuso e medo de denunciar Ao G1, o delegado responsável pelo caso, Valdinei Soares, contou que a mãe relatou que o abuso ocorreu no último dia 20, quando ela deixou a menina sozinha e os primos a levaram para uma praia. Ao sentir falta da criança, a mãe saiu em busca da filha, e a encontrou com os parentes. “A mãe procurou a delegacia e denunciou o caso. Ela deixou a criança, foi em algum local, os primos pegaram a menina e sumiram com ela. Foi procurar e encontrou os dois parentes na beira da praia. Quando viram a mãe soltaram a criança e saíram correndo”, confirmou. Ainda segundo o delegado, a mãe ficou com medo de denunciar os parentes. Apenas três dias depois, a mulher foi na delegacia falar do caso. Soares diz que a criança foi encaminhada ainda na segunda para Rio Branco. “Só foi procurar ajuda três dias depois. Foi feito um exame no Jordão que constatou o abuso, depois foi internada na maternidade devido às lesões nas partes íntimas. Os dois abusaram dela”, falou. Os dois ainda serão ouvidos pela polícia. “O maior vai ser encaminhado para o presídio de Feijó e o menor para Tarauacá. Ainda não foram ouvidos. O menor vai responder pelo crime análogo a estupro de vulnerável e o maior por estupro de vulnerável”, concluiu.
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree