-->

Em menos de 10 dias, governo do Acre volta atrás e readmite funcionários exonerados

28 Setembro 2019

Servidores foram readmitidos pelo governador Gladson Cameli em uma edição extra do DOE desta sexta (27). Em menos de 10 dias, governo do Acre volta atrás e readmite
funcionários exonerados Rede Amazônica Acre O governo do Acre readmitiu os demais funcionários exonerados no último dia 19. Mais de 300 funcionários foram demitidos após deputados derrubarem, por unanimidade, vetos governamentais a oito projetos do Legislativo. Nesta sexta-feira (27), o governou divulgou uma lista, no Diário Oficial do Acre (DOE), com o nome de 19 funcionários que tinham sido demitidos no último dia 19. Em uma edição extra também desta sexta, o governador Gladson Cameli tornou sem efeito a exoneração dos demais servidores exonerados. No dia 24, o governo já tinha revogado a exoneração de18 servidoresdo Instituto de Defesa Agropecuária do Acre (Idaf) e também nomeou um novo líder na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac). O deputado Gehlen Diniz (PP-AC) voltou a representar o governo na Casa. Em nota, o governo disse que pediu um relatório de avaliação dos secretários sobre a eficiência e frequência dos cargos indicados. "Tal relatório, visa fornecer mais informações sobre esses profissionais no contexto de trabalho desenvolvido para o estado do Acre", frisa a nota. Vetos Todos os vetos aos projetos do legislativo foram unânimes, ou seja, nem mesmo a base votou a favor do governo. Após as demissões, o governo negou retaliação e alegou que a ação foi necessária para que o estado ficasse dentro das regras da Lei de Responsabilidade Fiscal. Com a relação entre o Executivo e Legislativo estremecida, o governo nomeou um novo líder. Diniz voltou a assumir o cargo e tem como prioridade restabelecer o diálogo entre os poderes. Relação com os deputados Durante entrevista à Rede Amazônica Acre, na última quarta-feira (25), o governador afirmou que a situação com os deputados, que vetaram propostas do executivo já está resolvida. "Quero que os poderes sejam iguais. Não vou querer tomar as decisões pelo Legislativo, mas, tivemos um alinhamento definitivo, ontem [terça-feira, 24]", pontuou.
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree