-->

Moradora de rua é achada morta com mais de 10 facadas e roupas rasgadas no interior do Acre

03 Outubro 2019

Polícia acredita que vítima foi abusada sexualmente antes de ser morta. Corpo foi para IML para comprovar abuso e identificação. Vítima foi deixada em ramal da zona rural
de Epitaciolândia e achada por moradoresAlexandre Lima/Arquivo pessoal Uma mulher foi achada morta com várias perfurações faca e as roupas rasgadas em uma estrada de terra na zona rural de Epitaciolândia, interior do Acre. Segundo a Polícia Civil, a vítima seria moradora de rua e usuária de drogas. A polícia ainda tenta descobrir o nome dela. O corpo foi achado por moradores, nesta quinta-feira (3). Existe a suspeita de que a mulher tenha sido abusada sexualmente e foi deixada no ramal, que fica no quilômetro 24 da BR-317. Ao G1, o delegado Luiz Tonini, que investiga o caso, disse que o corpo tinha mais de dez perfurações e foi levado para o Instituto Médico Legal de Rio Branco (IML) para exames cadavéricos. “Não tem suspeito e nada que direcione para quem praticou esse crime bárbaro. É uma mulher que vivia na rua, usava entorpecente e andava com um pessoal que não tinha residência fixa. Praticava pequenos furtos, mas ninguém sabe o nome dela”, confirmou. Roupas rasgadas Ainda segundo Tonini, a vítima estava com as roupas rasgadas, usava uma blusa e calcinha. A polícia achou também uma peça de roupa, que não aparenta ser da mulher, ao lado do corpo. “Pode ter havido violência sexual também. O que sabemos é que o local onde foi encontrada não é o local que foi morta. Estava com [roupa] da parte de cima, não sei se chegou a haver luta corporal entre as partes, mas há uma peça de roupa que não é dela, e pode ser da pessoa que foi deixada, é um material de prova”, acrescentou. O delegado revelou que a vítima tinha ferimentos por várias partes do corpo. O crime deve ser investigado como feminicídio. “Deve ter outro motivo entrelaçado aí que a gente desconhece ainda. A princípio é feminicídio pelo fato de ser mulher, talvez foi abusada, não sei se antes ou depois as agressões, se foram pessoas que andavam com ela. Pode ter sido alguma retaliação por alguma situação”, concluiu.
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree