-->

Após mais de 24h de buscas, família do AC encontra homem que sumiu no rio em Rondônia

07 Outubro 2019

Heriberto da Silva Oliveira, de 53 anos, estava com a família e tomava banho quando desapareceu. Heriberto da Silva Oliveira, de 53 anos, que desapareceu no Rio Abunã,
em Rondônia Arquivo da família Após mais de 24 horas de desespero, a família do servente de pedreiro Heriberto da Silva Oliveira, de 53 anos, que desapareceu no Rio Abunã, em Rondônia, no último sábado (5), enquanto tomava banho, encontrou o corpo na manhã desta segunda-feira (7). Segundo o genro de Oliveira, Walisson Gondim, ele desapareceu por volta das 14h do sábado enquanto tomava banho com a esposa e mais alguns familiares que foram de Rio Branco passar o fim de semana no Abunã, que costuma receber turistas nesta época do ano. A família alega que os Bombeiros só compareceram no final da tarde de sábado e, após buscas rápidas, deixaram o local. Em buscas por contar própria, o filho de Oliveira, com a ajuda de outros familiares e uma pessoa da comunidade, encontrou o corpo que deve ser levado para Rio Branco. "Passou o sábado todo e não apareceu ninguém lá [dos Bombeiros]. Por volta das 16h [de domingo] chegou uma equipe do Corpo de Bombeiros e eles deram uns mergulhos rápidos e foram embora. Está difícil. A gente só queria encontrar o corpo pra ser velado. Só mesmo achar o corpo e fazer um velório digno", lamentou o genro. Além disso, Gondim disse que a família enfrenta dificuldades no local e está com dificuldades na comunicação e a gasolina está acabando. Segundo os familiares, o corpo foi encontrado em uma região distante do local e estava preso em galhos de árvores. Pedido de ajuda O major do Corpo de Bombeiros do Acre, Cláudio Falcão, explicou ao G1 que a família entrou em contato com o comando do estado e foi feito o pedido ao comando de Rondônia. "Ontem [domingo, 6] pela manhã, o Corpo de Bombeiros de Rondônia ainda não tinha chegado no local e eles fizeram contato conosco para pedir que ligássemos para os bombeiros de lá para agilizar o socorro", explicou. O major disse que o pedido foi feito, apesar de não ser um protocolo, mas o comandante do AC entrou em contato com o comando de lá, de modo que a tarde foi enviada uma equipe pra lá para fazer as buscas. "A informação que tenho é que desde ontem à tarde, eles estão fazendo buscas. Mas lá é bem isolado. E, se acaso eles precisarem do apoio, a gente apoia", informou. Além disso, o major explicou que as guarnições do Acre não pode atuar em outro estado sem solicitação do governo.
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree