-->

Governo do Acre cogita exonerar comandante-geral da Polícia Militar

07 Mai 2019

Comandante acredita que rumores podem ser consequência de carta da AME que pede a exoneração. Ele afirma ainda que atos do governo devem ser oficiais e por enquanto segue
no comando. Comandante Mário Cezar diz que ainda não recebeu comunicadoAline Nascimento/G1 Após carta da Associação do Militares do Acre (AME) exigindo a saída do comandante da Polícia Militar do Acre (PM-AC), coronel Mário Cézar, governo cogita exoneração. Ao G1, a porta-voz do governo, Mirla Miranda, disse que ainda não existe nada oficial e que deve se posicionar sobre o caso ainda nesta terça-feira (7). O comandante da PM, Mário Cézar, disse que também não recebeu nenhum tipo de comunicado oficial do governo e aguarda o posicionamento. "O que estou sabendo é através dos meios de comunicação. Os atos do governo têm que ser formais. Nem o governador Gladson Cameli, nem o vice Wherles Rocha, disseram para mim que estou fora", disse. Cézar acrescentou ainda que os rumores sobre essa possível exoneração pode ser consequência da carta da AME entregue ao vice-governador, na última semana, que poderia ter causado um desgaste. No documento, os militares alegam que foram retirados benefícios da categoria pela nova gestão, como a recompensa por apreensão de arma de fogo, a compensação de cinco dias nas férias para os militares que trabalham em eventos como o carnaval, Expoacre, Natal e Ano Novo, entre outros. "Nos bastidores, a associação dos militares não tem uma boa relação com o nosso comando e está querendo fazer política e isso não permito. Acredito que da maneira que está sendo divulgado, esses rumores podem ser consequência disso", concluiu.
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree