-->

Gladson Cameli diz que se reforma da Previdência não for aprovada AC vai decretar calamidade financeira

09 Mai 2019

Governador do Acre deu declaração quando esteve em Brasília (DF) em encontro de governadores com o presidente da República, Jair Bolsonaro. Governadores entregaram carta ao presidente Jair Bolsonaro
em encontro em BrasíliaO governador do Acre, Gladson Cameli (PP), participou, na manhã desta quarta-feira (8), de uma reunião com o presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL). Durante entrevista, o gestor disse que se a reforma da Previdência não for aprovada, ele só tem como governar o estado até o mês de junho. "No meu estado, no mês de janeiro, só o défcit da Previdência foi de R$ 40 milhões que eu tive que tirar dos cofres do estado. Se não for aprovada a reforma, eu só consigo governar até o mês de junho, eu vou ter que decretar estado de calamidade financeira", afirmou. Na oportunidade, Cameli entregou, junto com outros 24 governadores, a “Carta do Fórum de Governadores”, com seis reivindicações que têm como objetivo assegurar a estabilidade financeira dos estados. A reunião ocorreu na casa do presidente do Senado, Davi Alcolumbre. Estavam presentes o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, e o presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia. Gladson Cameli disse que Acre pode decretar calamidade financeira Reprodução/Rede Amazônica Acre Veja as reivindicações entregues ao presidente Jair Bolsonaro: Implementação “imediata” de um “plano abrangente e sustentável” para restabelecer o equilíbrio fiscal dos Estados e do Distrito Federal Compensação de estados e do Distrito Federal pelas perdas na arrecadação decorrentes da Lei Kandir Instituir um Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) permanente e dotado de status constitucional Regularizar a “securitização” de créditos dos estados e do Distrito Federal Garantia de repasses federais dos recursos provenientes de cessão onerosa/bônus de assinatura aos estados ao Distrito Federal e aos municípios Avanço da Proposta de Emenda à Constituição no 51/2019 para aumentar para 26% a parcela do produto da arrecadação dos impostos sobre a renda e proventos de qualquer natureza e sobre produtos industrializados destinada ao Fundo de Participação dos estados e do Distrito Federal
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree