-->

CRM tem mais de 70 sindicâncias em andamento contra médicos no AC

11 Mai 2019

Dos casos apurados, cinco envolvem propaganda irregular de especialização de médicos. Secretário do CRM-AC participou do bate-papo do G1 desta sexta-feira (10). Conselho Regional de Medicina tem 74 sindicâncias
contra médicos no Acre Divulgação/Conselho Regional de Medicina (CRM) O Conselho Regional de Medicina do Acre (CRM-AC) tem 74 sindicâncias em andamento contra médicos no estado acreano. No bate-papo do G1 desta sexta-feira (10), o secretário do CRM-AC e médico, Virgílio Prado, contou que dos casos apurados cinco são por propaganda irregular de especialização. Para debater mais sobre a importância da especialização, o Conselho organiza uma campanha de valorização do título de especialista do médico. "Além desses cinco casos, diversos médicos já foram chamados ao Conselho e chamados a atenção e se comprometeram em regularizar esse tipo de coisa. Às vezes, é até por um certo desconhecimento, que não justifica nunca, mas a gente vê como uma realidade”, explicou Prado. Especialização O secretário falou ainda que não é proibido o médico atuar em diversas áreas da especialização, mas não pode fazer divulgação afirmando que é especialista em determinada área da saúde sem ter a devida qualificação. “O médico quando se forma está apto, cadastrado no Conselho e apto a atuar em todas as especialidades. Mas, o especialista precisa dar mais alguns passos. No geral, é feita uma residência médica com uma carga horária extensa, às vezes até maior que a da graduação médica. Após cumprida essa etapa é que o médico adquire o direito e pode divulgar uma especialidade”, frisou. Médico Virgílio Prado participou do bate-papo do G1 nesta sexta-feira (10) Reprodução Prado ressaltou que atualmente há 1.014 médicos cadastrados no CRM-AC. Porém, apenas 488 têm alguma especialização. Segundo o profissional, na maioria das vezes, os médicos cometem alguma irregularidade pelas redes sociais. “Os casos vão se multiplicando, e o grande fator multiplicador dos casos são as redes sociais, mídias eletrônicas. Em um outdoor, ou uma coisa desse tipo, os médicos, na maioria das vezes, são mais cuidadosos e fazem tudo com rigor. Mas, às vezes, na rede social, o médico acaba cometendo erros e deslizes e que precisam ser chamados a atenção”, acrescentou. Paciente atento O secretário explicou que os pacientes precisam ficar atentos sobre a especialidade que o médico afirmou ter. Para comprovar, o paciente pode entrar no site do Conselho Federal de Medicina e verificar se o profissional possui o Registro de Qualificação de Especialista (RQE). “Lá vai ter um link que você encontra informações de qualquer médico em qualquer parte do Brasil dando apenas o nome completo do médico, ou o estado que atua ou a especialidade que ele tenha. O médico que tenha sua especialidade devidamente cadastrada vai aparecer o nome da especialidade. Ao lado aparece um número que é o RQE, número que o médico adquire quando mostra os diplomas ao Conselho quando conclui a especialidade”, pontuou. Em caso de irregularidade, o paciente pode enviar um e-mail para o Conselho denunciando o caso. “A pessoa mandando um e-mail devidamente identificado colocando os dados como RG ou CPF e encaminhar para o Conselho de Medicina já conseguimos fazer a apuração”, finalizou.
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree