-->

Família segue sem notícias de detento que sumiu há 4 meses no AC: ‘sofrimento’, diz ex-mulher

21 Mai 2019

Família procura por Antônio Osvaldo desde o mês de janeiro, quando ele saiu do FOC e sumiu em Rio Branco. Rapaz é dependente químico e morador de Epitaciolândia. Família
procura por Antônio Osvaldo desde o mês de janeiro, quando ele saiu do FOC e sumiu Arquivo da família Há quatro meses, a família de Antônio Osvaldo Lima de Queiróz, de 25 anos, não tem notícias do paradeiro dele. Queiroz está sumido desde o mês de janeiro quando deixou o Complexo Prisional Francisco d’Oliveira Conde (FOC), em Rio Branco. Ele cumpriu pena por furto no presídio. Ele é morador de Epitaciolândia, interior do Acre, é dependente químico, segundo a família, e foi transferido para a capital depois de ser preso há mais de um ano. Segundo a família, a Polícia Civil não deu uma resposta para o desaparecimento do rapaz. Um boletim de ocorrência foi registrado na Delegacia da 4ª Regional de Polícia Civil do Acre. O G1 tentou contato com a assessoria da Polícia Civil e com o delegado Fabrízzio Sobreira, que, de acordo com a família, seria o responsável pelo caso, mas não obteve sucesso até esta publicação. “Registramos um boletim de ocorrência, colocamos em grupos de notícias pedindo ajuda. Mas, até agora não temos nenhuma notícias. A gente sofre. Ele é importante para nós, não importa os erros dele e sim a vida dele. Essa criança vai precisar muito dele ainda”, lamentou a ex-mulher dele, Cleidinaura da Conceição Vieira. Filha Cleidinaura diz que a família tem esperanças de encontrar Queiróz com vida, mas se prepara para qualquer notícia. Ela é mãe de uma menina de 1 ano e 4 meses, fruto de um relacionamento com Queiróz. Segundo ela, o pai ainda não conhece a filha. “Não sabemos se está preso, se morreu, se está escondido. Não sabemos de nada, saiu e sumiu. Precisamos de um socorro humano porque sonhamos com essa vida, queremos encontrá-lo. Tem problemas psicológicos, teve depressão muito forte, mas só que precisamos encontrar ele para família tomar providências sobre a vida dele. Merece sobreviver, conhecer a filha dele”, questionou. A mulher critica ainda a polícia não ter feito nenhum contato e informado com estão as investigações para saber do paradeiro do rapaz. “Peço ajuda. Prestamos depoimento, mas até agora não se manifestaram ainda. Não temos notícias dele e precisamos saber o que aconteceu. Está sendo muito difícil ficar sem ele, é muito importante pra nós, é uma vida. A família sofre, chora e não temos o que fazer para encontrar ele. A mãe dele já foi atrás, procurou de todas formas que pôde”, falou.
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree