-->

Homem decapitado em vídeo no AC foi torturado até confessar ser de facção, diz polícia

23 Mai 2019

Delegado diz que homem foi mantido em cárcere privado e depois torturado psicológica e fisicamente até ser decapitado e jogado em rio. Bombeiros suspenderam buscas nesta quinta (23).
Vídeo com decapitação foi divulgado na internet e polícia investiga o caso em Rio Branco Divulgação/Polícia Civil O homem que aparece em um vídeo sendo decapitado foi mantido em cárcere privado e em seguida torturado psicológica e fisicamente até confessar ser de uma facção criminosa rival a dos autores do crime. A informação foi confirmada, nesta quinta-feira (23), pelo delegado responsável pelas investigações, Cristiano Bastos. A vítima, segundo a polícia, foi identificada como Raimundo Lacerda do Nascimento. Conforme o delegado, o homem foi atraído por uma mulher com quem tinha uma relação amorosa e, ao chegar no local, acabou sendo morto. “Ele tinha contato com a garota, que está envolvida no crime. Nisso ele foi atraído para lá, seguraram ele e o obrigaram a confessar que era de uma facção rival. Essa foi a motivação, o fato de ele residir em um bairro que predomina uma facção rival a do bairro que ele estava. Mas, não temos nenhuma informação até o momento que ele seja integrante de organização criminosa”, disse o delegado. A divulgação do vídeo mobilizou as forças de Segurança em Rio Branco. As imagens do homem sendo degolado de forma brutal foram gravadas no Segundo Distrito de Rio Branco e acabaram viralizando no final de semana. A suspeita da polícia é que o corpo da vítima tenha sido jogado no Rio Acre. A polícia apresentou, na manhã de terça-feira (21), três pessoas que foram presas suspeitas pelo crime e dois menores apreendido. São eles: Arlys Almeida, mais conhecido como Pepe; Emerson Saraiva, chamado de italiano e Adriana Silveira. Ao todo, cinco suspeitos foram identificados. Arlys Almeida, mais conhecido como Pepe; Emerson Saraiva, chamado de italiano e Adriana Silveira foram presos por matar homem Divulgação/Polícia Civil Buscas suspensas Após cerca de 30 horas, o Corpo de Bombeiros suspendeu as buscas por Nascimento, nesta quinta-feira (23). De acordo com o major Cláudio Falcão, foram feitos mergulhos desde segunda (20) até a quarta (22). “Vamos seguir com nossos protocolos. Fizemos mergulhos por cerca de 30 horas e amanhã vamos retomar com buscas na superfície da água”, afirmou o major.
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree