-->

Polícia investiga suposto abuso sexual contra funcionária de partido político no Acre

29 Mai 2019

Boletim de ocorrência foi registrado na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher. Presidente do PSL afirma que nada aconteceu na sede. Caso está sendo investigado pela Delegacia Especializada
de Atendimento à Mulher (Deam) Reprodução/Rede Amazônica Acre A Polícia Civil investiga um suposto caso de abuso sexual contra uma funcionária do Partido Social Liberal (PSL) do Acre. Conforme a denúncia, a mulher teria aceitado um remédio de um homem que estava na recepção do partido e depois disso não se lembra mais do que aconteceu. Um boletim de ocorrência foi registrado na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam). A delegada Juliana d'Angelis confirmou a investigação, mas disse que não iria comentar sobre o caso. Ao G1, o presidente do PSL no Acre, Pedro Valério, afirmou que o homem que deu o remédio à funcionária não é contratado ou filiado ao partido. Em nota, o partido informou que a suposta vítima saiu da sede do partido “consciente e andando com as próprias pernas” e que nada ocorreu dentro da sede do PSL. “O partido apoia as investigações como apoiaria qualquer outra que vise esclarecer a prática de crimes e punir os culpados. Esclarecemos ainda que em atitude de solidariedade, prestamos total apoio à suposta vítima, orientando-a e acompanhando na realização dos exames requeridos pela polícia”, diz a nota. Roubo e suposto abuso Conforme a denúncia, por volta das 11h, a mulher que registrou a denúncia estava trabalhando quando sentiu fortes dores de cabeça e um colega lhe ofereceu um comprimido. Ela tomou e, logo em seguida, começou a ficar sonolenta e não lembra mais de nada até acordar já em casa por volta das 17h. A mulher relatou ainda que sentiu ardência ao urinar e percebeu um leve sangramento nas partes íntimas. A denúncia também mostra que ao tentar ligar para alguém para pedir ajuda, ela viu que o celular não estava na bolsa, assim como uma quantia em dinheiro. A funcionária conseguiu o contato do rapaz que tinha dado o remédio para ela e ele informou que assim que ela começou a ficar sonolenta, chamou um transporte por aplicativo e ela mesmo passou o endereço e foi para casa.
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree