-->

Marinha e Polícia Civil vão investigar causas de explosão em embarcação no interior do Acre

08 Junho 2019

Delegado diz que deve iniciar oitivas na segunda-feira (10). Explosão deixou 18 pessoas feridas, algumas vítimas estão sendo encaminhadas para a capital acreana, Rio Branco. Explosão deixou 15
pessoas gravemente feridas, sendo que 6 estão entubadas no Hospital do JuruáGledisson Albano/Rede Amazônica Acre A Marinha do Brasil e a Polícia Civil do Acre vão investigar as causas da explosão em uma embarcação que deixou 18 pessoas feridas, na sexta-feira (7), na margem direita do Rio Juruá, em Cruzeiro do Sul, no interior do Acre. O delegado da cidade, Lindomar Ventura, afirmou que o inquérito vai ser instaurado ainda neste sábado (8) e que deve iniciar as oitivas das pessoas envolvidas e testemunhas na próxima segunda (10). Peritos da Polícia Civil estiveram no local do acidente para iniciar a investigação. “A gente só está aguardando passar esse primeiro momento para começar a ouvir algumas pessoas. As vítimas ainda estão em atendimento e é importante conversar com elas para saber o que aconteceu, além das pessoas que estavam fazendo a descarga do combustível. Vamos aguardar o laudo da perícia, que deve ficar pronto em 10 a 15 dias”, afirmou o delegado. Várias pessoas ficaram feridas no acidente dentro do Rio Juruá Filipe Cavalcante/Arquivo pessoal A Marinha do Brasil informou que assim que tomou conhecimento da explosão, enviou uma equipe de busca e salvamento e de inspeção naval da Agência Fluvial de Cruzeiro do Sul, junto com uma equipe do Corpo de Bombeiros do Amazonas. “Todas as pessoas foram resgatadas com vida e os feridos foram encaminhados ao hospital da cidade. Um inquérito será instaurado para apurar as causas, circunstâncias e responsabilidades pelo acidente”, afirmou a Marinha em nota. Dentre o procedimento investigatório da Marinha estão: se a embarcação tem inscrição, qual a tripulação dela, se ela era autorizada a transportar combustível, pessoas, mercadorias, que tamanho era a embarcação, identificar o proprietário, entre outras investigações mais aprofundadas. Barco explodiu no Rio Juruá, em Cruzeiro do Sul, nesta sexta-feira (7) Gledisson Albano/Rede Amazônica Acre Buscas por vítimas Equipes do Corpo de Bombeiros do interior do Acre fizeram mergulhos no local do acidente para tentar localizar possíveis vítimas fatais afogadas. Segundo o comandante do Corpo de Bombeiros da cidade, capitão José Dutra de Oliveira, nenhum corpo foi encontrado. Oliveira afirmou ainda que não se sabe quantas pessoas estavam na embarcação no momento do acidente, já que não havia um controle de passageiros. “Ele não estava abastecendo no Pontão, que é um posto de combustível flutuante. Como esse abastecimento estava sendo feito de um caminhão encostado na beira do rio, era, teoricamente, clandestino o tipo de comércio de combustível. Estavam colocando combustível tanto para o motor do veículo, como em caixotes grandes de 1 mil a 2 mil litros para distribuir”, afirmou o capitão. Veja o local da explosão de embarcação que deixou feridos no Acre Diana Yukari/G1 Vítimas hospitalizadas Segundo informações do Corpo de Bombeiros, o barco transportava mercadorias, pessoas e combustível para os municípios de Porto Walter e Marechal Thaumaturgo, no interior do estado. O barco estava saindo de Cruzeiro do Sul com destino a Marechal Thaumaturgo. O nome das vítimas ainda não foi divulgado. Ao todo, 17 pessoas continuam internadas no Hospital do Juruá. Holanda afirmou que os pacientes estão com queimaduras de 70% a 90% da superfície corporal queimada. Um paciente teve alta médica ainda neste sábado (8). O diretor Clínico do Hospital do Juruá, Marlon Holanda, informou que entre as vítimas estão uma mãe e um bebê, que foi transferido para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital da Criança, em Rio Branco. A mãe e outro paciente também devem ser levados para a capital ainda neste sábado.
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree