Big Banner Hospedagem de Site 1360x150
Quinta, 20 Junho 2019 12:55

Empresa deve indenizar consumidora que esperou mais de um ano por fornecimento de energia no Acre


Juiz sentenciou empresa a pagar indenização por danos morais. Inicialmente, a autora também pedia que fosse realizada a instalação elétrica. Cliente esperou por mais de um ano para ter
energia ligada na residênciaArquivo/EPTV A Justiça do Acre determinou que a concessionária de energia elétrica Energisa/Eletroacre indenize uma cliente em R$ 3 mil por danos morais, após a empresa demorar um ano e seis meses para fornecer eletricidade à residência da consumidora, da zona rural de Xapuri, no interior do Acre. Ao G1, a Energisa informou, por meio de nota, que sempre cumpre os prazos regulatórios e já realizou o pedido da cliente por meio de ordem judicial. "Eletroacre, empresa do grupo Energisa, esclarece que cumpre os prazos regulatórios estabelecidos por lei para realizar ligações novas. A empresa realizou o atendimento a cliente por meio de ordem judicial. A decisão publicada ainda é passível de recurso", informou. O juiz da Vara Única da Comarca Xapuri sentenciou a empresa a pagar indenização por danos morais. Inicialmente, a autora também pedia que fosse realizada a instalação elétrica. O advogado da cliente, Luciano Vasconcelos da Silva, diz que durante o processo, na audiência de conciliação, foi acordado que empresa faria a ligação da energia, mas o processo seguiu pelos danos morais. "Ela me procurou para a gente entrar com essa ação, porque ela fez o protocolo para fazer a ligação pelo Luz Para Todos, mas a Eletroacre não fez a instalação da parte elétrica na casa dela e os vizinhos tinham acesso e na propriedade dela não tinha", disse o advogado. O juiz deu a sentença e a empresa entrou com apelação pedindo reforma da sentença, e teve o pedido negado e foi mantida a decisão que ainda cabe recurso. "A decisão de manutenção da sentença de 1º grau foi acertada de maneira que houve uma demora na instalação, por isso, o juiz acertou na manutenção da sentença", disse Vasconcelos.
Ler 21 vezes

Atendimento ao Cliente:  Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Suporte ao Cliente:  Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Depto financeiro:  Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Publicidade & Propaganda: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

Notícias

Vídeos

Guia Comercial

Nossa Empresa

Please publish modules in offcanvas position.