-->

Apaixonados por duas rodas, motociclistas se reúnem para ajudar famílias carentes no Acre

23 Junho 2019

Família recebeu ajuda para conseguir medicamentos, mobiliar a casa e cadeira de rodas para jovem diagnosticado com a doença de Wilson, em Rio Branco. Grupo ajuda famílias carentes em
Rio Branco Arquivo pessoal Paixão por motocicleta e por aventuras nas estradas. Estes são, sem dúvidas, alguns dos elos que unem os motociclistas do Abutre's Moto Clube, em Rio Branco. Mas, o trabalho social que eles fazem também está entre as ações que desenvolvem e os tornam heróis para algumas pessoas. Mauro Aranha é diretor administrativo do moto clube no Acre e conta que já são mais de 30 anos de história e ação social que une os pouco mais de 20 membros do estado. "A diretoria do clube nacional entendeu que nós deveríamos também desenvolver trabalhos sociais nas mais diversas áreas. Então, a gente realiza trabalho em situação de catástrofe, calamidade pública e, às vezes, há um clamor social de alguma família carente ou alguém doente. Então, nós promovemos ações através de eventos, rifas, sorteios e contribuições dos próprios membros para socorrer essas famílias", conta. O trabalho mais recente do Abutre's é o de acompanhamento de um jovem que sofre com a doença de Wilson, que tem como principal característica o acúmulo tóxico de cobre nos tecidos, principalmente no cérebro e fígado. "Nós adotamos o Rogério Souza, que é de Xapuri e ele tem a doença de Wilson. Na época, ele estava desassistido dentro da Fundação Hospitalar e um membro viu que a gente podia abraçar e encapamos essa ideia e, hoje, ele tem uma vida relativamente de qualidade", conta sobre o trabalho desenvolvido. Trabalho social é uma das bandeiras do Abutre's Arquivo pessoal O grupo conseguiu a medicação de alto custo do jovem de 18 anos. Depois, com uma ação na justiça, eles conseguiram que o estado forneça a medicação. Além disso, o moto clube conseguiu uma cadeira de rodas adaptada, um aparelho de traqueostomia, e a mobília da casa da família que precisou mudar de Xapuri, no interior do Acre, para fazer o tratamento do jovem. "Foram ações emergenciais visando o bem-estar dele. Ajudamos a montar a casa. Hoje, a casa dele está em reforma e vamos promover um evento para levantar fundos e contribuir com os pais dele", conta. Assim, as ações do clube são as mais diversas possíveis. Mas, o diretor diz que que o grupo não tem condições de fazer tudo sozinho e também busca ajuda de parceiros, motociclistas e da sociedade como um todo. Festa de aniversário Rogério de Souza e a família são acompanhados desde 2016 Arquivo pessoal Rogério de Souza é acompanhado desde 2016 pelo grupo. Agora, completou a maior idade e ganhou uma festa de aniversário. No dia 27 de maio, ele e a família, junto com os Abutre's, festejaram mais um ano de vida. O diretor explica que este é o segundo ano que fazem o aniversário de Rogério. "A gente via a carência da família dele e é interessante dar esse apoio e começamos a fazer", disse. A ideia é de não estar presente apenas quando o jovem precisar de alguma coisa, mas também para aproveitar momentos bons. "Hoje ele está lá, bem e sorri com olhos. A gente sabe que está bem. Era importante essa ação em relação ao aniversário, tanto para a família como para ele, porque não está esquecido", ressalta. A informação é confirmada pela pela mãe do jovem, Dulcilene Ferreira. "O que nós ganhamos é o benefício dele [Souza] e não dá para a gente fazer certos tipos de comemorações. Daí eles [motociclistas] vieram, trouxeram um bolo, cantaram parabéns. O Rogério fica muito feliz quando recebe a visita deles", conta a mãe. O jovem não consegue mais andar ou falar. Os sintomas da doença começaram a aparecer em 2014, só um ano depois foi diagnosticado com a doença já avançada, o que agravou o estado. "Ela [a doença] deixou meu filho totalmente sequelado. Ele viveu normal até os 14 anos, estudava, ajudava a gente no trabalho na zona rural e, de repente, começou a ter dificuldade em falar algumas palavras, sentia cansaço e começou a salivar", conta a mãe. A partir de então, a família começou a luta contra a doença e acabou ganhando um grupo de aliados que tem dado o suporte que eles precisam. "Agradeço muito a Deus e agradeço muito a eles [moto clube]. Sou agradecida de coração pelo tanto que já ajudaram a gente com a medicação e também o auxílio que eles têm dado", complementa. O foco do moto clube, hoje, é com a família do Rogério. Mas, a ideia é expandir a ajuda para outras pessoas. Para isso, os Abutre's buscam criar uma sede social para ter maior visibilidade e atender mais famílias.
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree