-->

Em Rodrigues Alves, mais de 300 pacientes tiveram sintomas da dengue este ano

25 Junho 2019

Saúde confirma apenas 33 casos e investiga outras 286 notificações. Muitos pacientes com sintomas preferem não procurar as unidades de saúde. Em Rodrigues Alves, mais de 300
pacientes tiveram sintomas da dengue este ano Divulgação/Prefeitura Na maioria dos bairros de Rodrigues Alves, interior do Acre, muitos pacientes reclamam dos sintomas da dengue, mas muitos não procura uma unidade de saúde. No primeiro semestre deste ano, foram mais de 300 pessoas que foram a um posto de saúde com sintomas da doença. Mas, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, apenas 33 casos de dengue foram confirmados na cidade. “Até pouco tempo, não estávamos fazendo a coleta da sorologia porque o Laboratório de Saúde do Estado [Lacen] não tinha enviado os kits para realizar, mas agora deram luz verde para coletarmos e estamos fazendo os exames. Mas, não é casa alarmante ainda. Está dentro da normalidade e estamos no controle da situação”, garante Júlio Martins, secretário da pasta. No entanto, a maioria das pessoas que sintomas da dengue, prefere ficar em casa. A aposentada Raimunda Ribeiro e o marido acreditam que, pelos sintomas, já tiveram dengue pois sentiram as mesmas coisas de sua vizinha que fez o exame e deu positivo. A aposentada conta que em quase toda cidade já viu as pessoas reclamando que estavam com a doença. “Nesse bairro aqui foi um monte de gente, na vizinha foi a família inteira. Na igreja também muita gente reclama e é na cidade inteira”, conta a mulher. A aposentada e o marido decidiram não procurar o médico por achar que demoraria muito a receber o resultado do exame. “Não procurei o médico, porque fui lá na mulher e ela disse que estava com sete dias que fazia o exame ou fazia o hemograma que não dava o resultado certo”, disse. O aposentado Paulo Santana também reclama dos problemas que ele e a esposa tiveram depois que contraíram a dengue. Ele também preferiu não ir ao médico. “Não fui porque já tinha informações como era a dengue e curei em casa. Comprei só um remedinho necessário e tomei água de coco e estou bem recuperado. Mas, nesse meu bairro quase todo mundo pegou dengue”, afirma Santana. A Secretaria de Saúde não informou o prazo para o resultado dos quase 300 casos da doença que estão em investigação. O município tem pouco mais de 16 mil habitantes e teve os primeiros casos de dengue confirmados em 2018, mas a secretaria não tem os dados do número de pacientes que tiveram a doença no ano passado. Segundo o secretário, no início deste ano, a cidade era a que tinha o maior número de infestação do mosquito transmissor da dengue no Acre, mas, com o trabalho realizado, esse índice baixou consideravelmente. “Nossa equipe tem passado nas casas, nas escolas orientando e, graças a Deus, vem dando certo. Já tivemos o maior índice de infestação e agora, na semana 25, tivemos apenas uma notificação”, afirma o secretário.
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree