-->

Pessoas autistas passam a ter direito a atendimento preferencial no interior do Acre

26 Junho 2019

Estabelecimentos devem incluir placa do autismo em filas preferenciais. Em Cruzeiro do Sul, 40 pessoas estão cadastradas na associação. Pessoas autistas passam a ter direito a atendimento preferencial no
interior do Acre Arquivo pessoal Em Cruzeiro do Sul, a partir desta quarta-feira (26), o público autista vai ter atendimento preferencial. Uma lei sancionada pelo prefeito Ilderlei Cordeiro, estabelece que todas as instituições públicas e privadas incluam o símbolo mundial de autismos nas placas de atendimento especial. Assim como idosos, grávidas, crianças e as pessoas com deficiências, os autistas não devem mais esperar em filas na segunda maior cidade do Acre. A lei determina que supermercados, agências bancárias, farmácias, bares restaurantes, lojas e outros estabelecimentos privados dispensem a mesma atenção às pessoas com autismo. Também serão obrigados a oferecer atendimento preferencial aos autistas as repartições públicas. A Secretaria Municipal de Saúde vai expedir uma carteira para as pessoas portadoras de autismo que devem apresentar na hora do atendimento. De acordo com a lei, as entidades que não respeitarem esse direito poderão ter como penalidades advertência ou a cassação do alvará de funcionamento. Para o presidente da Associação dos Pais dos Autistas, Peter Roger, a medida é uma garantia de diretos a um público que necessita uma atenção especial. “Em determinado momento, o autista não consegue conviver com as frustrações, com algo que está contra a sua vontade e, de repente, pode se ter um momento de raiva de estresse. Por exemplo, muitos, estando para aguardar na décima posição em uma fila, acabam não tendo a mesma paciência que as outras pessoas e às vezes os pais preferem levar para casa nesses casos sem receber o atendimento para não criar transtorno. Por isso, essa lei é muito importante”, disse Roger. Mais de 40 pessoas com autismo fazem parte da associação. Para dar melhor atenção a esse público, a prefeitura também criou o Centro de Atendimento de Interação Sensorial (Centrin). “É algo que começou a despertar em nossa equipe de saúde para cuidar melhor de pessoas tão especiais como são os autistas. Com isso, hoje nos tornamos referência no país e estamos, inclusive, participando com um dos nossos médicos de seminários sobre o autismo nos Estados Unidos. Estamos fazendo de tudo para dar a melhor atenção e garantir os diretos dessas pessoas”, o prefeito.
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree