-->

MP-AC pede novas diligências em caso da morte de jovem em acidente com motos aquáticas

29 Junho 2019

Polícia Civil informou que ainda não foi notificada das novas diligências, portanto ainda não há um prazo para que o inquérito seja concluído novamente. Maicline teve a perna arrancada
após condutor de moto aquática fazer manobra de 'cavalo de pau' e perder controle do veículoReprodução/Facebook A 2ª Vara do Júri da Promotoria de Justiça do Acre pediu novas diligências no inquérito que investiga o acidente que matou a atendente Maicline da Costa, de 26 anos. As investigações tinham sido concluídas em abril deste ano, e o médico Eduardo Velloso foi indiciado pela Polícia Civil por homicídio culposo e lesão corporal. Mas, segundo informou o Ministério Público do Acre (MP-AC), não foi oferecida denúncia e, após análise, foram pedidas novas diligências no inquérito. Ao G1, a Polícia Civil informou que ainda não foi notificada das novas diligências, portanto ainda não há um prazo para que o inquérito seja concluído novamente. A jovem Maicline Borges da Costa morreu após sofrer um acidente no dia 12 de janeiro, na região da Quarta Ponte, no Rio Acre, em Rio Branco. Conforme os bombeiros, testemunhas relataram que a moto aquática em que a vítima estava colidiu com outro veículo. Médico foi indiciado por homicídio culposo e lesão corporal após morte de jovem no Rio Acre Reprodução Quando concluiu o inquérito em abril, o delegado responsável pelo caso, Karlesso Néspoli, explicou que indiciou apenas o médico pelo crime, porque, segundo ele, foi o médico quem bateu na moto aquática do empresário Otávio Costa, que estava com a vítima. A versão que a irmã da vítima deu, logo após o acidente, era outra. Na época, Hinauara Borges afirmou que a moto do empresário é que havia colidido contra a do médico, após uma manobra perigosa, conhecida por cavalo de pau. Acidente Maicline morreu após ter a perna arrancada durante o acidente, que ocorreu na região da Quarta Ponte, no Rio Acre, em Rio Branco. Ela estava com o empresário em uma moto aquática, e a irmã dela estava com o médico em outra moto, quando os veículos colidiram. A vítima foi levada para o Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb), mas morreu horas depois. A irmã da vítima chegou a acusar o empresário de não prestar socorro para Maicline.
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree