-->

Criança de 5 anos atingida de forma acidental por tiro dado pelo irmão de 8 morre no Acre

01 Julho 2019

Acidente no sábado (29) em Sena Madureira. O irmão mais velho da criança alcançou a arma do avô e disparou acidentalmente. Mãe do menino de 5 anos
esteve no hospital na manhã desta segunda-feira (1º) Iryá Rodrigues/G1 O menino de 5 anos, que levou um tiro de espingarda na cabeça, não resistiu e morreu nesta segunda-feira (1), no Hospital da Criança, em Rio Branco. O tiro foi dado pelo irmão mais velho do menino, de 8 anos, de forma acidental no sábado (29), no Ramal do Pelé, em Sena Madureira. A informação da morte do menino foi confirmada pela médica Eliza Souza. A criança foi transferida do Hospital João Câncio, em Sena Madureira, para o Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb). Em seguida foi levada para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital da Criança. De acordo com a Polícia Militar, as duas crianças estavam sozinhas em casa, quando o mais velho conseguiu achar a espingarda do avô e disparar acidentalmente. O tiro ultrapassou a parede e atingiu a cabeça da criança de 5 anos. “Ele já chegou aqui em um estado irreversível. Já no primeiro dia, percebemos que ele estava abrindo a pupila, só que, como ele tinha recebido medicações para sedar, a gente tem que esperar um tempo para poder abrir um protocolo de morte encefálica. Mas, não deu tempo. Na manhã desta segunda, ele já estava sem reflexo nenhum e o coração parou”, disse a médica. No transporte até Rio Branco, a criança seguiu sem acompanhante e os médicos acionaram o Conselho Tutelar. A conselheira tutelar Graziele Morais informou que foram acionados pelo Samu e deu as orientações sobre os procedimentos que deveriam ser adotados. Segundo ela, se tiver que dar algum encaminhamento sobre esse caso, vai ser direcionado para o 2° Conselho Tutelar, responsável pela regional. “A criança estava sob a responsabilidade do Estado. Então, o hospital poderia destinar alguém para ficar acompanhando essa criança até que surgisse algum parente. Não entraram mais em contato conosco e nesta segunda [1º], entramos em contato com a equipe do serviço social do Huerb e fomos informados que a criança tinha sido transferida para o Hospital da Criança e já estava sendo acompanhada pela mãe”, disse a conselheira. Criança estava na UTI desde sábado (29) Iryá Rodrigues/G1 A mãe estava em casa Entre lágrimas e muito abalada com a situação, a mãe da criança de 29 anos disse que estava em casa com as crianças quando tudo aconteceu e garante que elas não estava sozinhas. “Eu estava sentada na porta com ele umas 15h, aí o outro [criança de 8 anos] entrou no quarto, pegou a espingarda e chamou ele para olhar na brecha e atirou. Ele pensava que não tinha cartucho, porque meu pai nunca deixava com cartucho. Era a espingarda do meu pai caçar, era guardada na parte de cima, mas ele ficou procurando e pegou. Primeiro levaram ele para o hospital de Sena Madureira e depois pra cá e eu vim. Fiquei com ele aqui no hospital todo tempo”, disse a mãe. O G1 tentou ouvir a Polícia Civil para saber se alguma investigação foi aberta sobre o caso, mas não obteve retorno.
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree