-->

Polícia ainda não tem pistas de suspeitos que atiraram em homem durante festa em Rio Branco

04 Julho 2019

Investigações são feitas por equipes da Delegacia da 3ª Regional, na Baixada da Sobral. Jhon Nasch está internado em coma no Huerb desde o último dia 22. John Oliveira,
de 27 anos, está internado em estado gravíssimo no Huerb desde o último dia 22 Arquivo pessoal A Polícia Civil do Acre já iniciou as investigações para saber quem atirou em Jhon Nasch Oliveira, de 27 anos, mas ainda não tem pistas dos responsáveis pelo crime. O rapaz foi baleado durante uma festa na região da Baixada da Sobral, em Rio Branco, no último dia 22. Oliveira está internado em estado gravíssimo na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital de Urgência e Emergência (Huerb). Ele perdeu o baço, um dos rins, parte do intestino grosso e a família fez campanha de doação de sangue para ajudá-lo. O caso é investigado pela Delegacia da 3ª Regional da Polícia Civil, que fica na Baixada da Sobral. Ao G1, o delegado responsável pelas investigações, Ricardo Casas, explicou que os investigadores estão em campo em busca de pistas e testemunhas que ajudem a elucidar o crime. “Dei o despacho para que sejam iniciadas as investigações. Ainda não sabemos o que aconteceu, vamos começar a ouvir as pessoas, expedimos a ordem de missão e minha equipe tem só dois policiais com muita demanda. Já iniciamos as investigações e tentamos localizar o responsáveis”, complementou Casas. A reportagem entrou em contato com a mulher de Oliveira, mas ela falou que não quer comentar o caso. Situação estável Uma parente do rapaz, que pediu para não ter o nome divulgado, contou que a situação de Oliveira ainda é muito delicada. Ele permanece em coma e com secreções nos pulmões. “Estão tentando abrir para tirar bala que ainda tem, mas nesse momento, segundo o cirurgião, ele não resiste uma nova cirurgia. Não sabemos nem o que fazer, estamos em um desespero”, lamentou. O familiar complementou que Oliveira continua fazendo hemodiálise. Além disso, o rapaz pegou algumas infecções nos ferimentos. A família ainda não sabe a motivação do crime e nem quem são as pessoas que atiraram no jovem. “Não é nenhum bactéria, graças a Deus, mas está dentro de uma UTI todo aberto, então, é um risco que corre 24 horas. Está em coma, entubado e em situação gravíssima. O médico falou que no momento o que menos preocupa é o rim”, avaliou.
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree