-->

Após reunião, MP-AC instaura investigação sobre falta de estrutura e efetivo em delegacia

21 Julho 2019

Ministério Público instaurou investigação para apurar condições da delegacia de Feijó. Reunião entre MP-AC e equipe da delegacia ocorreu no último dia 17. MP-AC investiga falta de estrutura
e efetivo no delegacia de Feijó Arquivo pessoal Uma investigação do Ministério Público do Acre (MP-AC) apura a falta de estrutura e efetivo na delegacia da cidade de Feijó, interior do estado. O procedimento foi instaurado após uma reunião, realizada no último dia 17, na Promotoria de Justiça Criminal do município com a equipe da delegacia. O delegado Valdinei de Souza, responsável pela unidade, confirmou a reunião, mas disse que quem poderia passar mais detalhes sobre o caso seria a direção da Polícia Civil. "Falamos sobre alguns procedimentos que podem ser melhorados junto ao Ministério Público. Em resumo, foi mais para acertar os ponteiros sobre procedimentos que podem ajudar o Ministério Público no oferecimento da denúncia", frisou. A direção da Polícia Civil informou que ainda não foi notificada da decisão. Reunião Durante a reunião, o promotor de Justiça substituto Thiago Marques abordou assuntos relacionados a ações desenvolvidas pela polícia na cidade. O relatório destaca que foi entregue à polícia uma lista de ofícios com prazos vencidos para cumprimento. “Enfatiza a necessidade de comprometimento na resposta de ofícios e diligências requisitadas pelo Ministério Público dentro do prazo legal, vez que tais providências são essenciais ao andamento de persecução penal”, destacou o relatório. No encontro também foram debatidas formas de melhorar a parceria entre o MP-AC e a polícia. Segundo o documento, o delegado responsável pela unidade explicou sobre as dificuldades enfrentadas diariamente, como falta de investimento e efetivo, pela equipe. “A par exposto, o promotor de Justiça substituto Thiago sugeriu ao delegado a elaboração do ofício expondo as dificuldades estruturais e de pessoal que estão sendo enfrentadas pela Polícia Civil, para que as medidas legais sejam tomadas”, ressaltou.
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree