-->

Cartas e cartões de memória são apreendidos durante operação do MP em presídio no AC

15 Agosto 2019

Ordens para o cometimento de crimes eram feitas à mão. Operação ocorreu em nove estados. Cartas e cartões de memória são apreendidos durante operação do MP-AC em presídio
no AC Asscom/MP-AC O Ministério Público do Acre (MP-AC) apreendeu cartas, cartões de memória, armas artesanais e drogas, durante revista no presídio Francisco D'Oliveira Conde (FOC), em Rio Branco, durante operação nacional de combate às organizações criminosas, desencadeada na manhã desta quinta-feira (15). A operação ocorreu em nove estados da federação com cumprimento de mais de 300 mandados de busca e apreensão dentro dos presídios. O coordenador adjunto do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), Bernardo Albano, disse que a ação contou com o apoio do Instituto de Administração Penitenciária (Iapen) através do Grupo Penitenciário de Operações Especiais (GPOE) e teve como objetivo a apreensão de materiais ilícitos por causa de uma mudança na comunicação feita dentro do presídio. “Nós identificamos que com a instalação dos bloqueadores [de celulares], o trânsito de informações entre criminosos teve uma mudança de dinâmica, e eles passaram a utilizar de escritos que eram transmitidos através das visitas íntimas e também na transmissão de cartões de memória. Então, essa operação visou a prospecção desses dados. E também apreendemos drogas e armas artesanais dentro do sistema prisional”, disse Albano. O promotor informou que, após a apreensão deste material, o MP-AC vai analisar o conteúdo das cartas e cartões identificar e penalizar os responsáveis. O órgão não informou quantos cartões e cartas foram apreendidos, nem a quantidade de drogas. O coordenador adjunto do Gaeco disse ainda que é importante esse acompanhamento no sistema, já que muitas das ordens de crimes que ocorrem na rua, partem das unidades prisionais. “O Ministério Público está sempre com o olhar voltado para o sistema prisional. Daí, a necessidade de realizar rotineiramente esse tipo de ação para apreensão desse material, visando a identificação dessas lideranças”, pontua. Denúncia Desde julho, o MP-AC tem feitos grandes operações para combater o crime organizado. No dia 24 do mês passado, aconteceu a Operação Hemólise, que cumpriu mandados de prisão, busca e apreensão, que foram cumpridos em 18 bairros de Rio Branco, Sena Madureira, Porto Acre, Porto Walter e Plácido de Castro. Nesta quinta-feira (15), o Gaeco também divulgou a denúncia da Operação Hemólise, ocorrida no mês passado, que resultou na prisão de 69 integrantes de uma facção criminosa. De acordo com o MP, todos os presos foram denunciados. Entre os envolvidos, haviam 23 chefes da organização, 5 conselheiros e 16 frentes de bairro e cidades. Cada um pode pegar até 14 anos de prisão.
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree