-->

Acusados de matar jovens no AC são condenados por expulsar moradores de casas em bairro

31 Agosto 2019

Juntos, eles receberam uma pena de mais de 19 anos. Segundo a sentença, eles expulsavam moradores de suas casas e simulavam a compra do imóvel. Trio foi condenado
por organização criminosa Divulgação PC/AC O quarteto suspeito de matar três adolescentes que desapareceram após saírem da Expoacre no dia 5 de agosto do ano passado, foi condenado pelo crime de organização criminosa, no último dia 20 agosto. De acordo com a sentença da 3ª Vara Criminal, eles são acusados de expulsar moradores de suas casas e simular a venda dos imóveis. Juntos, eles receberam uma pena de mais de 19 anos. Clenilton Araújo de Souza, de 26 anos, foi condenado 5 anos e 8 meses no regime semiaberto e Francimar Conceição da Silva, de 27, recebeu a pena de 6 anos e 8 meses no regime fechado. Já Luiz Gonzaga Figueiredo foi condenado a 3 anos 7 meses, e Amauri Sandro da Silva Lima, de 53, recebeu a pena de 5 anos e 8 meses, ambos no regime semiaberto. Amauri Sandro da Silva Lima, de 53 anos também foi condenado Quésia Melo/G1 De acordo com a advogada Luiz Gonzaga, Gisele Marques, mesmo com o regime semiaberto, ele não pode ser solto por causa do crime do Taquari que ainda aguarda julgamento. "O alvará já foi expedido. Ele recebeu uma pena menor e já tem alvará. Ele não saiu devido ao processo do Taquari ainda está fase das alegações finais na primeira fase do processo", explicou a advogada. A mesma medida vale para os demais presos, que também foram beneficiados com o regime semiaberto que são suspeitos de participar do mesmo crime dos três adolescentes, segundo a sentença. O G1 não conseguiu contato com a defesa dos outros citados na sentença até esta publicação.
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree