-->

Hospital troca corpos e família de idosa sepulta homem com suspeita de Covid

09 Abril 2020
O corpo de uma idosa foi trocado com o corpo de um homem com suspeito de contaminação pelo coronavírus em um hospital de Santo André, na região do ABC, nesta
quarta-feira (8), em meio à pandemia. A família da idosa só descobriu a troca após o enterro que foi feito com o caixão lacrado, já...
Dona Amir Martins da Silva, de 92 anos, teve corpo trocado com o de um homem em Santo André — Foto: Divulgação

O corpo de uma idosa foi trocado com o corpo de um homem com suspeito de contaminação pelo coronavírus em um hospital de Santo André, na região do ABC, nesta quarta-feira (8), em meio à pandemia. A família da idosa só descobriu a troca após o enterro que foi feito com o caixão lacrado, já que o hospital disse que ela tinha morrido com coronavírus. Mas, na verdade, a causa da morte foi broncopneumonia.

Há cerca de 15 dias, Dona Amir Martins da Silva, de 92 anos, caiu e quebrou o fêmur. A mulher foi internada no Centro Hospitalar de Santo André e o estado dela piorou.

“Quando eles deram notícia da morte da minha mãe, eu me dirigi ao necrotério junto com o pessoal da funerária e lá me foi dito que eu não poderia entrar, só a funerária ia entrar. Eu tive de ficar esperando do lado de fora e quando o rapaz da funerária saiu com o corpo ele já saiu falando: ‘olha, foi realizado um protocolo de Covid… ela tá com dois sacos, o caixão tá lacrado’”, contou Nelson Gil da Silva, filho de Amir.

Seguindo as recomendações do governo para casos de coronavírus, a família levou o corpo para ser enterrado sem a realização de velório.

Durante a tarde desta quarta, após a cerimônia, o hospital ligou para os familiares e informou que havia trocado os corpos.

“Quando a gente estava chegando em casa, a gente recebe uma ligação de que o corpo tinha sido trocado, de que havia tido um engano. Lá no hospital eles falam que a culpa não foi deles, que estava tudo devidamente etiquetado. Eles falaram que era pra ter uma no peito, nos pés e do lado de fora do saco plástico, essa do lado de fora do saco não tinha, ela não foi colocada. Eu estive lá e eu vi, a do peito da minha mãe, eu vi a identificação”, lamentou o filho.

A troca dos corpos só foi percebida quando a família do Francisco Carlos da Silva, de 54 anos, foram liberar o corpo e notaram que se tratava de uma mulher. As duas famílias registraram um boletim de ocorrência contra o hospital. A delegada exigiu a exumação do corpo do Francisco.

O corpo da Dona Amir será enterrado na manhã desta quinta (9). “O pior de tudo isso é que amanhã nós vamos passar por tudo de novo, a mesma sensação ruim, aquela tristeza, aquela angústia”, declarou o filho.

A Prefeitura de Santo André confirmou o ocorrido e disse, em nota, que considerou a troca dos corpos como um constrangimento “inconcebível”. O prefeito Paulo Serra exigiu uma apuração imediata do ocorrido e não descarta a possibilidade de afastar os possíveis responsáveis pela troca.

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree