-->

Irmãos são presos por homicídio qualificado no interior de Alagoas

06 Agosto 2020
Dois irmãos, de 24 e 25 anos, foram presos na manhã desta quinta-feira, 6, no município de Novo Lino, no interior de Alagoas. Eles estavam foragidos e respondem pelo crime
de homicídio qualificado. De acordo com a Polícia Civil, uma operação foi deflagrada para cumprir os mandados de prisão preventiva expedidos pela Vara Única da...
PC/AL

Algemas – Ilustração

Dois irmãos, de 24 e 25 anos, foram presos na manhã desta quinta-feira, 6, no município de Novo Lino, no interior de Alagoas. Eles estavam foragidos e respondem pelo crime de homicídio qualificado.

De acordo com a Polícia Civil, uma operação foi deflagrada para cumprir os mandados de prisão preventiva expedidos pela Vara Única da Comarca de Joaquim Gomes (AL), pela morte de José Fábio da Silva, alvejado com tiros de arma de fogo em sua residência, situada na Aldeia Wassu Cocal, na zona rural da quela cidade, no dia 26 de dezembro de 2015.

“As investigações da Polícia Civil em relação ao homicídio demonstraram que os dois irmãos infratores  são os autores do crime. Inclusive no momento da invasão à casa da vítima eles teriam se identificado com polícia”, relatou o delegado Gustavo Henrique.

Ainda segundo o delegado, o crime teria sido motivado por um desentendimento por conta do volume de um som em uma festa da qual a vítima participava, o que teria irritado um dos assassinos, e também o fato de os autores terem uma desavença anterior por conta de tráfico de drogas, já que todos tinham envolvimento com esta atividade ilícita.

Segundo o apurado pela Divisão Especial de Investigação e Capturas (DEIC), os dois presos têm extensa ficha criminal, com antecedentes criminais por delitos diversos. Um deles por homicídio, roubo, tráfico de drogas, porte ilegal de arma de fogo e o antigo crime de quadrilha ou bando. Já o outro por homicídio, roubo e tráfico de drogas.

Após a captura, a dupla foi conduzida à sede da DEIC, no bairro da Santa Amélia, em Maceió, onde foi formalizado o cumprimento dos mandados de prisão e, em seguida, encaminhados ao sistema prisional do Estado, onde permanecem à disposição da Justiça.

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree