-->

Deputada do AP terá que devolver R$ 150 mil doados por partido não coligado durante campanha

11 Novembro 2019

Alliny Serrão (DEM) recebeu valor do PR nas eleições de 2018, na qual foi eleita. Alliny Serrão (DEM), deputada estadual pelo AmapáAlliny Serrão/Divulgação A deputada estadual Alliny Serrão (DEM),
eleita para o 1º mandato no Amapá, terá que devolver R$ 150 mil recebidos a título de doação do Partido da República (PR) nas eleições de 2018. A determinação foi do ministro Luís Roberto Barroso, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O recurso foi aplicado na campanha da então candidata mesmo com o PR não integrando a coligação do DEM a nível estadual. A defesa de Alliny justificou que a decisão é monocrática e que o pleno do TSE ainda não apreciou o caso. Na decisão, Barroso considerou que o fundo eleitoral deve ser usado para a campanha dos candidatos do próprio partido, e que não faz sentido financiar gastos de adversários. As contas da campanha de Alliny foram aprovadas no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AP), mas o TSE revogou a medida. A discordância na prestação de contas não tem nenhum reflexo no mandato da parlamentar na Assembleia Legislativa (Alap). É a 2ª decisão do TSE sob o mesmo argumento em menos de uma semana no Amapá. Na quinta-feira (7), foi publicada também a desaprovação das contas da também deputada Marília Góes (PDT). A decisão, assim como a desta segunda-feira (11), foi assinada por Barroso. A deputada, que também é primeira-dama do estado, recebeu R$ 200 mil do PR mesmo sem a legenda integrar a coligação dela. Para ler mais notícias do estado, acesse o G1 Amapá.

Em breve novidade aqui!!!

Usuário(s) Online

Temos 974 visitantes e Nenhum membro online
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree