-->

Casal de jornalistas que viaja pela América do Sul chega ao Amapá em busca de histórias

19 Fevereiro 2020

Dupla, que já passou por 9 países, busca conhecer todos estados do Brasil. Casal de jornalistas Carina Furlanetto e João Paulo Mileski, ao conhecer a Fortaleza de São José,
em Macapá Crônicas na Bagagem/Divulgação Depois de passar por Uruguai, Argentina, Chile, Bolívia, Peru, Equador, Colômbia, Venezuela e Guiana, o casal de jornalistas Carina Furlanetto e João Paulo Mileski chega no Amapá. A dupla viaja há exato um ano pela América do Sul em um carro popular, registrando cada dia com fotos e textos publicados nas redes sociais. O objetivo agora é conhecer todos os estados brasileiros antes de voltar à terra natal, Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul. Desde que deixaram os solos internacionais no fim de 2019, eles já passaram por Roraima, Amazonas, Pará e estão agora Amapá, onde ficam até quinta-feira (20). No estado do extremo Norte brasileiro, o casal conheceu o município de Oiapoque, Santana, além dos principais pontos turísticos de Macapá como a Fortaleza de São José, a APA do Rio Curiaú e o monumento Marco Zero do Equador. Casal chegou a ir ao município de Oiapoque, no extremo Norte do país Crônicas na Bagagem/Divulgação Todos os dias eles postam uma foto e um texto bastante descritivo no Facebook e no Instagram do projeto "Crônicas na Bagagem", onde relatam um pouco do que foi vivenciado por eles nas últimas 24 horas. A ideia é que os escritos sirvam de base para um livro a ser feito no final da aventura. "Na volta a gente quer escrever um livro. Até por isso a gente está escrevendo todos os dias, para depois ter um material pronto. Se a gente deixar para escrever só depois, acho que parte da essência que a gente viveu vai se perder", explicou Mileski. No orçamento do casal a meta é gastar R$ 100 por dia. Eles contam com as economias que cada um juntou e um aluguel de um apartamento, que cobre um terço das despesas. Para isso, eles, às vezes, dormem no próprio carro e contam com ajuda de pessoas, como acontece no Amapá. Eles se hospedaram na casa de um fã no município de Santana, que acompanha a viagem pela internet. Registro feito em Manaus, no Amazonas Crônicas na Bagagem/Divulgação Escassez de banho por 96 horas, falta de gasolina, pneus furados e até dormir perto de galinhas por 3 noites estão entre os "perrengues" enfrentados por eles nos 366 dias de viagem. Mas tudo vem tendo um valor importante pelo aprendizado obtido. "Eu trabalhei 3 anos com política e durante esse tempo tive ataque de pânico, crise de ansiedade, porque na minha bolha eu não confiava mais nas pessoas. E agora a gente está sendo ajudado por tantas pessoas, que nem nos conhecem, e assim a gente voltou a recuperar a confiança no ser humano. Acho que esse é o grande legado da viagem", contou o jornalista. Mesmo com o projeto do livro, o futuro é incerto para o casal. O que se tem certeza é que o próximo destino é Belém, no Pará, e que eles planejam encerrar a jornada pelos estados brasileiros no fim deste ano. Os passos depois disso são páginas em branco de um livro a escrever, descreve Carina. "Às vezes a gente pensa em não parar de viajar, às vezes a gente pensa em comprar uma casinha no interior, às vezes a gente pensa em voltar a ter uma vida normal... Não sabemos muito bem o que faremos, estamos tentando viver um dia de cada vez. Já sofremos muito com ansiedade, então vamos se acalmar, deixar rolar e ver o que acontece", finalizou Carina. Foto em praia da Colômbia Crônicas na Bagagem/Divulgação Para ler mais notícias do estado, acesse o G1 Amapá.
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree