-->

Como magnatas do açaí, sheiks esbanjam carisma n’A Banda: ‘mais caro que petróleo’

25 Fevereiro 2020

Autônomo teve ideia após casamento, quando descobriu que sogro vendia açaí, no lugar de petróleo. Amigos se fantasiaram de sheiks para mostra que são magnatas do "petróleo roxo", como
chamam o açaí Caio Coutinho/G1 Com uma “levada” inspirada nas Arábias, cerca de 20 amigos resolveram se fantasiar de sheiks para desfilar no bloco A Banda, nesta terça-feira (25), em Macapá. A ideia foi do autônomo Agostinho Brás, de 65 anos. O autor cotou que a história nasceu após o casamento dele, quando pensava que o sogro vendia petróleo e depois soube, na verdade, que ele vendia açaí. Hoje, ele e os amigos se consideram magnatas apaixonados pelo fruto. “Casei pensando que o pai da minha mulher vendia petróleo e depois descobri que era açaí, o petróleo roxo, que hoje tá mais caro que o petróleo preto”, contou às risadas a história inusitada. Segundo Agostinho, cada sheik gastou, em média, R$ 150 com os panos vindos diretos da “Rota da Seda”, rota comercial histórica entre ocidente e oriente. A Banda Tradicional na terça-feira gorda de carnaval, o maior bloco de rua do Amapá, um dos maiores do Norte do país, percorre um trajeto de quase 8 quilômetros por vias do Centro e de bairros do entorno de Macapá. Para ler mais notícias do estado, acesse o G1 Amapá.

Em breve novidade aqui!!!

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree